Pavel Ustinov, de 23 anos, foi condenado por um tribunal russo na segunda-feira por resistir à prisão e causar uma entorse a um policial.

O jovem diz-se inocente e garante que nem sequer participava na manifestação não autorizada durante a qual foi preso. Com ele, o número de pessoas presas após a onda de protestos que abalou a capital russa neste verão sobe para seis.

Os seus amigos descrevem a sua sentença como "arbitrária" e chamam-no de "preso político".

A comunidade artística russa raramente se mobiliza desta forma. Desde segunda-feira, várias dezenas de nomes conhecidos no país pediram a libertação de Ustinov e lançaram uma campanha chamada "Eu sou/somos Pavel Ustinov".

O jovem ator recebeu até o apoio do apresentador de televisão pró-governo Pervy Kanal, Maxim Galkin.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram que o jovem foi preso por um grupo de agentes policiais enquanto falava ao telefone.

Cerca de 40 padres ortodoxos também pediram a libertação dos manifestantes condenados.

Um porta-voz do Kremlin recusou a comentar a condenação de Ustinov, mas disse que o presidente Vladimir Putin foi informado do caso.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.