O ator norte-americano Leonardo DiCaprio negou, este sábado, dia 30 de novembro, uma acusação do presidente Jair Bolsonaro de que ele teria ajudado a financiar grupos supostamente ligados a incêndios em Alter do Chão, no Pará.

"Embora sejam dignas de apoio, nós não financiamos essas organizações", disse DiCaprio, de 45 anos, num comunicado partilhado na sua conta no Instagram.

No seu direto semanal, na quinta-feira, Bolsonaro acusou DiCaprio de colaborar com os incendiários na Amazónia e de ter doado cerca de 500 000 dólares a um grupo que, segundo ele, teria incendiado a floresta com o objetivo de atrair doações. 

Embora não tenha citado nenhuma evidência, Bolsonaro disse que DiCaprio tinha reservado uma parte da quantia "para as pessoas que estavam a pegar fogo". O presidente repetiu as acusações na sexta-feira.

"O futuro desses ecossistemas insubstituíveis está em jogo e tenho orgulho de fazer parte dos grupos que os protegem", frisou o ator nas redes sociais, elogiando os brasileiros que trabalham "para a salvar sua herança natural e cultural".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.