O CD, que conta com a participação da soprano Susana Gaspar, da meio-soprano Cátia Moreso e do tenor Fernando Guimarães, é apresentado hoje, às 18:00, no auditório do Casino Estoril.

No âmbito da apresentação realiza-se um recital em que serão escutadas algumas das obras gravadas, nomeadamente, os Quatro Cantos de Natal - “Ó meu Menino Jesus”, “Ó meu Menino tão lindo”, “Cantiga à Virgem” e “Vós sois Cristo” -, “Música”, um dos três poemas de Adolfo Casais Monteiro (1908-1972) que Lopes-Graça musicou, e, das dez Canções Populares Húngaras, serão escutadas “Kertünk allat”, “Jeruzsálem Kapujában”, “Tegnap jártam zabaratri”, “Estefelé” e “Öszi szei”.

Do programa do recital constam ainda as Canções Populares Russas “La mal-mariée”, “Pétrouchka” e “Sur les flots puissants du Volga”, assim como “Distância”, uma d’”As três Canções de Olívia”, de Adriano Jardim.

Está também previsto a realização de uma mesa-redonda sobre a obra para canto e piano de Fernando Lopes-Graça (1906-1994), moderada pelo musicólogo Paulo Ferreira de Castro, com as participações de Susana Gaspar, Cátia Moreso, do tenor Fernando Serafim, de Nuno Vieira de Almeida, do presidente da Fundação D. Luís I, Salvato Telles de Menezes, e do professor de Estética, da Universidade do Minho, Vítor Moura.

As Nove Canções Populares Russas, “totalmente desconhecidas, e cujo tempo de duração não foi determinado por Romeu Pinto Correia”, especialista na obra de Lopes-Graça, explicou Vieira de Almeida, foram gravadas pela soprano Susana Gaspar e pelo tenor Fernando Guimarães, um dos mais internacionais cantores portugueses atuais.

Outra “estreia” do CD de Fernando Lopes-Graça são os Quatro Novos Cantos de Natal, de Gil Vivente, “descobertos por Conceição Correia, coordenadora da Casa Verdades Faria-Museu da Música Portuguesa”, no Monte Estoril, instituição à qual Lopes-Graça entregou o seu espólio.

O CD “Songs and Folk Songs”, de Fernando Lopes-Graça (1906-1994), editado internacionalmente pela Naxos, além das dez canções magiares, das nove russas e dos Cantos Novos de Natal de Gil Vicente, inclui Quatro Cantos de Natal, de tradição popular portuguesa, dois "romances", de Armindo Rodrigues, três poemas de Adolfo Casais Monteiro e “As três canções de Olívia”, de Adriano Jardim.

Nuno Vieira de Almeida, em declarações à agência Lusa, disse que optou por "misturar" canções populares e canções originais, “para melhor se compreender o estilo do compositor".

A canções originais são “Música”, “Poemas das Mãos Tombadas” e “Marcha Triunfal”, a partir de poemas de Casais Monteiro, “Romance das Três Meninas no Laranjal” e “Romance dos sete Cavaleiros”, de Rodrigues, “As três canções de Olívia” (“Desalento”, "O Bordado” e “Distância”), e os Cantos de Gil Vicente, que “são das primeiras” que Lopes-Graça compôs e, desde então, “não terão voltado a ser interpretadas”.

O pianista, que conviveu com o Lopes-Graça, afirmou que “há muitíssimo material [inédito]” do compositor, e que há projetos com a Fundação D. Luís I, que coordena a programação do Bairro dos Museus da autarquia, para “continuar o trabalho”, pois “há muitas obras, nomeadamente para canto e piano, que é a parte maioritária da sua criação, que continuam por estrear”.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.