O ciclo, organizado em parceria com o Festival Músicas do Mundo, de Sines, prossegue com o músico francês Chassol "depois de uma paragem forçada pela pandemia de COVID-19", anunciou o Teatro da Trindade.

O certame iniciou-se em fevereiro com o grupo britânico Triaboliques, o único concerto levado a palco, de uma programação que previa a estreia em Lisboa, em março, da cantora brasileira Ava Rocha e, em abril, a atuação dos romenos Taraf De Caliu.

Para maio estava agendado o músico nigeriano Tony Allen, que morreu no final de abril.

A maliana Oumou Sangar estava previsto atuar em junho e os Huun-Huur-Tu, da república russa de Tuva, em setembro.

O pianista, compositor e arranjador Christophe Chassol sobe ao palco do Trindade no próximo dia 27, apresentando o seu mais recente disco, "Ludi", editado em março passado.

Chassol, natural da ilha de Martinica, colaborou com nomes como os Phoenix e Sebastien Tellier. As suas composições articulam vozes, música, sons e imagens em novos objetos audiovisuais.

Em dezembro, no dia 8, o ciclo "Mundos" encerra com o duo Puuluup, onde "a tradição e o novo unem-se", afirma o Trindade.

No ano passado, o ciclo "Mundos" contou com 3.565 espectadores, segundo a organização.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.