“Já aconteceu uma coisa idêntica em Lisboa, no final de julho, com um concerto do The Legendary Tigerman, no Village Undergound, mas agora esta iniciativa em Évora junta vários espetáculos e diversos artistas, divididos por dois dias de programação”, realçou hoje à agência Lusa Manuel Chambel, da União Audiovisual.

Segundo o responsável, os concertos de Évora são “o maior evento promovido pela União Audiovisual", até ao momento.

A iniciativa, organizada também pela Câmara de Évora e pela Sociedade Operária de Instrução e Recreio (SOIR) Joaquim António d’Aguiar, vai ter lugar na Arena D’Évora e, além do bilhete diário ter “um preço acessível” de cinco euros, cada pessoa do público é obrigada a levar um saco com bens essenciais não perecíveis.

“Nenhum dos artistas vai cobrar ‘cachet’, todos aceitaram fazer o espetáculo só com pagamento de despesas, porque o objetivo do evento é fazer uma mega-recolha de bens alimentares”, que serão depois entregues a “colegas do meio audiovisual e da Cultura que estão a passar por dificuldades”, destacou Manuel Chambel.

E essa é, precisamente, a ideia central que levou à criação deste grupo informal de profissionais do ramo do audiovisual, que se reuniu no início da pandemia da COVID-19.

A União Audiovisual, num documento enviado à Lusa, explicou que tem como objetivo exclusivo o de “ajudar com bens alimentares os profissionais da área artística e audiovisual, que viram o seu trabalho cancelado ou adiado, até tempo incerto.

“Aqui no Alentejo ajudamos apenas uma pessoa, mas em Lisboa, no Porto, no Algarve e por outros locais são muitas mais semanalmente. Para uma estrutura não organizada como a nossa, que surgiu apenas do companheirismo e da solidariedade, este apoio já começa a tomar uma proporção grande, o que nos levou a organizar-nos”, relatou Manuel Chambel.

Com os concertos em Évora, “queremos fazer aquilo que mais gostamos, que é espetáculos e montar eventos, desenvolver um trabalho que achamos que é porreiro e digno para o público e, ao mesmo tempo, queremos que as pessoas se divirtam e contribuam para uma causa nobre”, vincou.

No dia inaugural, a 18 de setembro, a partir das 21h30, o concerto que dá o “pontapé de saída” é do fadista Duarte, natural da terra, com a participação do grupo Cantares de Évora, seguindo-se um espetáculo dos Dead Combo, com banda.

O cartaz do segundo e último dia arranca, também à noite, com OMIRI, acompanhado pelo grupo Cantares de Évora, com quem já trabalhou anteriormente, encerrando a iniciativa com The Legendary Tigerman e a sua banda.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.