“Foi muita coisa, felizmente. A recolha [feita nos concertos de sexta-feira e sábado] dará para assegurar duas semanas de entrega em Lisboa”, referiu Manuel Chambel, da União Audiovisual à Lusa, contando que em Lisboa são entregues 35 cabazes por semana.

Segundo Manuel Chambel, cada cabaz tem alimentos suficientes para duas a três semanas, no mínimo, o que significa que em cada semana são apoiadas pessoas diferentes.

No Alentejo, a União Audiovisual ajuda apenas uma pessoa, por isso a grande maioria dos alimentos recolhidos nestes concertos tiveram como destino Lisboa.

Este grupo informal, criado em março como resposta à crise no setor da Cultura, começou por fazer recolhas e entrega de alimentos na zona de Lisboa, mas já tem núcleos espalhados do Porto ao Algarve.

De acordo com Manuel Chambel, o número de pessoas ajudadas “tem vindo a aumentar, de semana para semana”. E "todas as semanas aparecem casos novos”, disse.

Com o regresso às aulas, além da ajuda alimentar, “aparecem também pedidos para material escolar”. Até porque "há uma quantidade significativa de pessoas a pedir ajuda nesse sentido”, partilhou.

Quem quiser ajudar, ou precisar de ajuda, pode contactar este grupo usando a Internet. A União Audiovisual tem um grupo no Facebook, que é fechado, mas basta pedir para aderir, e uma página em https://uniaoaudiovisual.pt/.

Além das recolhas semanais, o grupo tem também feito recolhas em alguns espetáculos, e em iniciativas por si organizadas.

Os concertos de sexta-feira e sábado em Évora foram “o maior evento promovido pela União Audiovisual”, até ao momento, e a ideia “é tentar continuar a organizar este tipo de coisas”.

A iniciativa, organizada também pela Câmara de Évora e pela Sociedade Operária de Instrução e Recreio (SOIR) Joaquim António d’Aguiar, teve lugar na Arena D’Évora e, além do bilhete diário de cinco euros, cada pessoa do público era obrigada a levar um saco com bens essenciais não perecíveis.

The Legendary Tigerman, Dead Combo, OMIRI e Duarte foram os artistas que atuaram e que não cobraram ‘cachet’. “Todos aceitaram fazer o espetáculo só com pagamento de despesas, porque o objetivo do evento era fazer uma mega-recolha de bens alimentares”, que serão entregues a “colegas do meio audiovisual e da Cultura que estão a passar por dificuldades”, destacou Manuel Chambel.

Além da União Audiovisual, existe pelo menos mais um grupo de ajuda alimentar dedicado a profissionais da Cultura, o nosSOS, promovido pela companhia de teatro Palco 13.

O nosSOS pode ser visitado aqui e também no Facebook da Palco 13.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.