Numa entrevista à Lusa, a propósito de um concerto dos De La Soul, no sábado, no festival Super Bock Super Rock, David Jolicouer (Trugoy The Dove) afirmou que as recentes mortes de civis afro-americanos e polícias são um sinal de que alguma coisa tem de mudar.

“É um assunto que, infelizmente, ainda não teve a atenção certa. É triste que negros sejam mortos por agentes policiais e é ainda mais triste que estes estejam a ser assassinados. É óbvio que ninguém percebeu que ia chegar a este ponto tão mau. Tenho esperança em que políticos, polícias e as pessoas nas ruas prestem atenção e comecem verdadeiramente a dialogar sobre o problema”, disse o músico afro-americano.

Nos últimos dias têm-se multiplicado as manifestações nos Estados Unidos contra a violência racial. Os protestos acontecem dias depois do assassínio de cinco polícias e da morte de dois afro-americanos, devido à violência policial.

Apesar da onda de violência, o presidente dos Estados Unidos, Barak Obama, em fim de mandato, acredita que os norte-americanos "não estão divididos como parece".

Com novas eleições presidenciais à porta, em novembro, o músico dos De La Soul espera que sejam tomadas decisões.

“Quem quer que ganhe tem de levar o assunto a sério, porque ainda vai piorar. Ninguém quer ver polícias e negros ou qualquer outra pessoa a morrer nas ruas, seja às mãos de um polícia ou de um civil”, disse.

No entender de David Jolicoeur, “há um problema com autoridades policiais e homens negros”.

“É uma coisa intimidante, é preciso mais treino e compreensão entre ambos. Os polícias têm de estar mais confortáveis, próximos e envolvidos com as comunidades e com os bairros negros. É uma coisa que pode e vai mudar, mas é preciso que a América preste atenção”, lamentou.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.