O certame contará com 47 exposições de fotografia, envolvendo a participação de 64 fotógrafos.

Braga é o epicentro dos Encontros, com um total de 14 espaços e 36 exposições.

A edição deste ano tem como tema “Génesis 2:1”, que a organização considera enquadrar-se “perfeitamente” nos tempos atuais de crise pandémica e na “confusão e caos” dela decorrentes.

Nesta 31.ª edição, os Encontros da Imagem dão continuidade ao projeto Memórias da Cidade, retomado em 2020, depois de muitos anos de interrupção.

O principal objetivo é a construção de um espólio fotográfico e a contribuição para a perpetuação de uma memória coletiva da cidade de Braga.

Para o efeito, a direção do festival convidou os fotógrafos Lara Jacinto (Porto) e Fábio Cunha (Lisboa), para, no âmbito de duas residências artísticas em Braga, construírem um corpo de trabalho novo, com visões distintas sobre uma cidade ainda a viver tempos de pandemia.

A visão e as imagens apresentadas por Fábio Cunha e Lara Jacinto podem ser vistas no Museu D. Diogo de Sousa.

Além das exposições de fotografia, os Encontros da Imagem contemplam várias atividades paralelas, como duas residências artísticas e três “open calls”, no âmbito das quais serão atribuídos outros tantos prémios, designadamente o Prémio Descoberta, para jovens fotógrafos, o Prémio Emergentes, para fotógrafos com projetos já mais consistentes, e o Prémio EI.Book, para a edição de livros de autor.

Leitura crítica de portefólios, com a participação de um júri composto por 16 personalidades que avaliam os projetos fotográficos de 60 fotógrafos internacionais, é outra das atividades, a par de conferências, visitas guiadas às exposições e ciclos de cinema, com a projeção de 13 filmes “de culto”.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.