Os espetáculos de 16 e 17 de setembro assinalam a sexta vez que os U2 atuam em Portugal, oito anos depois de terem feito dois concertos lotados no Estádio Cidade de Coimbra, em outubro de 2010. Em 1982, tocaram no festival de Vilar de Mouros e em 1993, 1997 e 2005 atuaram no Estádio José de Alvalade, em Lisboa.

A atual digressão começou em maio nos Estados Unidos, mas a etapa europeia só arrancou no início deste mês, num concerto atribulado em Berlim, interrompido por problemas vocais de Bono.

Se se mantiver o plano das datas mais recentes, os U2 deverão tocar a partir das 21h00 de hoje mais de 20 canções na Altice Arena. O alinhamento deverá estar cenicamente dividido entre dois palcos, um com mais destaque visual e outro mais intimista.

Embora os dois registos mais recentes, "Songs of Innocence" (2014) e "Songs of Experience" (2017), sejam a razão de ser da digressão, deverá haver muito espaço para pegar no retrovisor e olhar para a carreira, que começou em 1976 em Dublin.

Os U2 chegam a Lisboa depois de quatro datas em Paris, onde tocaram temas como "Beautiful Day", "Elevation", "Sunday Bloody Sunday", "I will follow" e "City of blinding lights". Abriram com "The blackout" e fecharam com "13 (There is a light)", ambos de "Songs of Experience".

De acordo com a promotora, "esta nova produção para arenas explora a mais recente e inovadora tecnologia", com um palco 360 graus e "um sistema de som inovador", sendo uma sequela da digressão de 2015.

Os U2 integram Bono, The Edge, Adam Clayton e Larry Mullen Jr.

U2 – Songs Of Experience

Bono consultou médico e promete ter voz para toda a digressão

No início do mês, a banda foi forçada a interromper um concerto em Berlim, ao cabo de apenas algumas canções, depois de Bono ter perdido subitamente a voz. O incidente ocorreu no segundo e último concerto da capital alemã integrado na digressão.

Em comunicado partilhado no site oficial, o músico revelou que foi visto por um médico e que se encontra em fase de recuperação. "Fico feliz por não ter sido nada sério, um alívio que é atenuado por saber que isto foi bastante inconveniente para com o público berlinense. Havia uma atmosfera incrível, ia ser uma daquelas noites inesquecíveis, mas não por este motivo…", escreveu.

Na nota partilhada nas redes sociais, Bono frisou ainda que não foi detetado nada de grave e que recuperou por completo.

Vendas ilegais: há quem compre uma caneta ou uma mota para ter um bilhete para os U2

Os bilhetes para os dois concertos dos U2 em Portugal esgotaram em poucas horas. Quem não conseguiu uma entrada para o espetáculo foi tentando a sua sorte nos sites de vendas online.

Ana Moura vai juntar-se aos U2 para dar voz a campanha contra a pobreza
Ana Moura vai juntar-se aos U2 para dar voz a campanha contra a pobreza
Ver artigo

Segundo a lei portuguesa, a revenda de bilhetes com um valor superior ao estabelecido pelas promotoras do evento é ilegal. Para contornar a legislação, há quem dê asas à imaginação, colocando canetas à venda por 225 euros... com oferta de um bilhete para o concerto dos U2.

“Vendo caneta Bic com grande valor sentimental, e ofereço ao comprador um bilhete para o concerto dos U2 no dia 17 de setembro, em Lisboa”, podia ler-se num dos anúncios, segundo o site MAGG.

Na plataforma havia ainda quem vendesse um iPhone 6 por 600 euros, oferendo uma entrada para o concerto da banda irlandesa. Um outro utilizador dizia oferecer um bilhete na compra de uma moto Yamaha (5900 euros).

No site foi possível comprar um cartaz dos U2 por 375 euros, tendo como oferta também um bilhete.

O OLX frisa que "a venda de bilhetes para espectáculos é permitida desde que o valor da venda seja o valor facial do bilhete, e a entidade promotora do evento não tenha estabelecido quaisquer limitações a essa venda". "O OLX adverte que a venda de bilhetes para espectáculos, acima do seu preço facial constitui crime de especulação, nos termos do artº 35º do Decreto Lei 28/84, que enquadra os delitos antieconómicos", acrescenta a plataforma online.

U2 foram os músicos que mais ganharam em 2017: quanto lucrou a banda?

Os irlandeses foram os que mais ganharam nos Estados Unidos no ano passado, revelou a Billboard na sua pesquisa anual publicada em julho.

O grupo conseguiu 54,4 milhões de dólares no ano passado - mais de 95% vindo das suas digressões, já que Bono e sua banda esgotaram estádios para os concertos que marcaram 30 anos do álbum "The Joshua Tree".

A estrela da country Garth Brooks ficou em segundo lugar, com 52,2 milhões de dólares. Já os Metallica aparecem em terceiro lugar, com 43,2 milhões de dólares. Lady Gaga ficou na sexta posição.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.