O organista mexicano Felipe Adrian Rojero, de 42 anos, apresentará em primeira audição portuguesa, no dia 22 de julho, às 17:30, peças dos compositores seus compatriotas. De Domingo Lobato, falecido em 2012, será escutada Toccata, do contemporâneo Gustavo Delgado, o Segundo Libro de Organo, de Ramón Noble (1920-1999), “Moto Perpetuo”, e, de sua autoria, “Suite Española” e “Marcha”.

Rojero dirige o coro da Escuele de Musica Sagrada de Guadalajara, no México, e é professor de piano, solfejo e harmonia, na Universidade de Guadalajara.

O ciclo celebra o 9.º aniversário do órgão de Mathis dos Jerónimos, inaugurado em setembro de 2009, e que foi construído na Fábrica Mathis, na Suíça. Projetado essencialmente para acompanhamento litúrgico, é, porém, "um instrumento versátil que se adequa à realização de concertos a solo, ou de música de câmara", explicou à agência Lusa o seu organista titular, António Esteireiro, diretor artístico deste ciclo.

O recital que celebra o aniversário realiza-se no dia 30 de setembro, pelo italiano Daniele Ferretti, que vai interpretar obras de Johann Sebastian Bach, Felix Mendelssohn, Vincenzo Petrali, Marco Enrico Bossi e Ferdinando Provesi.

Ferretti trabalha, desde 2009, com o Instituto Diocesano-Litúrgico-Musical de Asti, como professor de Órgão e consultor artístico de atividades culturais e musicais organizadas pelo instituto.

Desde 2012 é organista do grupo instrumental barroco Armoniosa, que surgiu da experiência artística iniciada nas atividades culturais do Instituto.

O IX Ciclo de Concertos de Órgão dos Jerónimos abre no próximo domingo com um recital do português André Ferreira, que vai interpretar obras de Girolamo Frescobaldi, Dieterich Buxtehude, Louis Vierne e Maurice Duruflé.

André Ferreira, que iniciou os seus estudos com António Esteireiro, é licenciado em Órgão pelo Conservatório de Amesterdão, onde estudou com Jacques van Oortmerssen, e trabalhou com Pieter van Dijk. Atualmente, é finalista do Mestrado em Órgão da Escola Superior de Música de Lisboa, sob a orientação de João Vaz.

Colabora como organista com a paróquia católica de S. Tomás de Aquino e com a de Santa Maria de Belém, leciona Órgão na Escola Diocesana de Música Sacra do Patriarcado de Lisboa. O organista é também licenciado em Matemática Aplicada e Computação, pelo Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa.

António Esteireiro toca no dia 5 de agosto, e vai apresentar peças de Carlos Seixas, Luís de Freitas Branco, Charles-Marie Widor e Olivier Messiaen.

Professor no Instituto Gregoriano de Lisboa e na Escola Superior de Música de Lisboa, nas disciplinas de Órgão e Improvisação, António Esteireiro é também docente de Órgão nos Cursos Nacionais de Música Litúrgica organizados pelo Santuário de Fátima.

Esteireiro tem realizado concertos tanto como solista como fazendo parte formações corais e orquestrais, na Europa e no Brasil.

O organista é presença regular em ciclos e festivais de órgão nacionais, coordenou também os ciclos de concertos de órgão na Basílica dos Mártires, em Lisboa, e, em 2008, executou a Integral para Órgão de Olivier Messiaen (1908-1992), na Sé Patriarcal de Lisboa.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.