De acordo com a Câmara Municipal da Amadora, num comunicado hoje divulgado, o júri decidiu, “por unanimidade” atribuir o prémio ao trabalho coletivo “Por ti, Portugal, eu juro”, por entender tratar-se de “um raro, dinâmico e brilhante exemplo jornalístico de memória e de atualidade”.

“O retrato desta realidade colonial, em grande parte desconhecida, esquecida ou ‘atropelada’ pelas circunstâncias históricas, não se limita a mergulhar nas profundezas de um tempo para dele fazer luz. Vai mais longe: desassossega verdades vigentes, contrasta narrativas oficiais, resgata vozes silenciadas e levanta questões de importância extrema sobre as conveniências e segredos perpetuados, ainda hoje, pelas instituições democráticas”, salienta o júri.

Além disso, “é um verdadeiro trabalho multimédia que, da fotografia ao vídeo, passando pelo grafismo móvel, usa todos os recursos tecnológicos possíveis para ‘falar’, com qualidade superlativa, a várias gerações”.

O júri da 25.ª edição do Prémio Literário Orlando Gonçalves é constituído por representantes da Câmara da Amadora (Miguel Carvalho), da Sociedade Portuguesa de Autores (Paulo Sérgio Santos) e do Sindicato dos Jornalistas (João Miguel Rodrigues).

O prémio é entregue no dia 10 de setembro, às 18h00, na Biblioteca Municipal Fernando Piteira Santos, numa cerimónia que decorre no âmbito da Festa do Livro.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.