Depois de iniciar a sua carreira como DJ em 1999 e ter produzido vários "singles" de sucesso ao longo do século XX, o músico tem vindo a distanciar-se do formato "dançável" para um "tecno" mais atmosférico e recheado de outras influências. O músico chamou este longo processo contra o conservadorismo como “batalha contra a ‘dance music’”.

O álbum James Holden & The Animal Spirits, lançado no ano passado, traz faixas onde a eletrónica se mistura com ambientes do "rock" psicadélico, experiências minimalistas e "ambient", influências do "jazz" e canções mais melódicas – tudo culminando no que o músico chamou de “folk trance”.

O álbum foi gravado ao vivo em um único “take” no seu estúdio – reunindo o seu parceiro de longa da Étienne Jaumet (saxofone), o percussionista Camilo Tirado, com quem trabalhou num tributo a Terry Riley, Tom Page na bateria e a multinstrumentista Liza Bec – que toca saxofone, clarinete e flauta. Holden, claro, comando tudo com os seus sintetizadores modulares.

O concerto decorre às 21h e os bilhetes custam € 15.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.