O Tribunal de Apelações de São Francisco considerou esta sexta-feira que a decisão de um tribunal de primeira instância em 2016 foi afectada por vícios de procedimento. A justiça não encontrou na ocasião nenhuma prova para determinar que os Led Zeppelin tinham copiado a introdução do clássico de 1971 de uma canção do grupo californiano Spirit, dos anos 1960.

Os dois principais nomes dos Led Zeppelin, o cantor Robert Plan e o guitarrista Jimmy Page, eram acusados de plagiar a melodia de "Taurus", música instrumental dos Spirit, na introdução de "Stairway to Heaven".

O guitarrista dos Spirit, Randy Wolfe, que compôs "Taurus" em 1966, nunca apresentou uma ação judicial pela canção e morreu afogado em 1997. Mas por muito tempo confessou a amigos e em artigos na imprensa que merecia um crédito como autor de "Stairway", ao chamar a canção de "roubo".

O administrador do património de Wolfe, Michael Skidmore, apresentou a ação em 2015, exigindo uma indemnização por perdas e danos, além de uma menção como compositor para Wolfe pela participação na criação "da maior canção de rock".

Page e Plant negaram o plágio em 2016 e afirmaram que os acordes em disputa "existiam desde sempre".

Mas o caso foi enviado para um novo julgamento por decisão do Tribunal de Apelações de São Francisco. A sentença de 37 páginas, após um recurso de Skidmore, destaca as falhas na primeira decisão de 2016.

O tribunal indicou que certas instruções apresentadas ao tribunal de primeira instância foram "equivocadas e prejudiciais" e que errou ao aceitar o argumento dos processados de que os elementos comuns na música não são protegidos por direitos de autor.

Os Led Zeppelin abriram concertos para os Spirit quando a banda britânica fez sua estreia nos Estados Unidos, a 26 de dezembro de 1968, em Denver.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.