Filomena Cautela despediu-se esta quinta-feira, dia 25 de junho, do "5 para a meia-noite", programa que estreou há 11 anos na RTP2. Apesar de ter prometido que não ia chorar, a apresentadora não conseguiu esconder a emoção nos minutos finais do programa.

"O '5 para a meia-noite' é o lugar de maior liberdade que existe na televisão é o programa mais difícil de fazer da televisão portuguesa, e não tenho dúvida do que estou a dizer", frisou a apresentadora.

"Vou sair do '5 para a meia-noite' porque acho que se continuasse aqui ia tornar este programa numa coisa que ele não é e acho que tenho de respeitar o legado de 11 anos que se viveu aqui. Tenho de lhe fazer outra coisa. Isto não é o 'programa da Mena', isto é o '5 para a meia-noite'", explicou.

"O '5 para a meia-noite' é o lugar onde eu já fui a mulher mais feliz do mundo e a mulher mais infeliz do mundo. Não há nada como este programa na televisão e foi por isso que me mantive aqui tanto tempo", revelou Filomena Cautela na reta final da emissão do talk show da RTP1.

"Tenho de agradecer muito a uma equipa a RTP e a uma pessoa em especial, Gonçalo Madail, que há muitos, muitos anos, quando ninguém queria saber de mim para absolutamente nada, foi a única pessoa que contra toda a gente disse: 'Não, eu quero a miúda'. Portanto, Gonçalo, tudo o que eu consegui profissionalmente é graças a ti. Obrigada, não esqueço nada", agradeceu.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.