Quase 3 mil mortos e mais de 6 mil feridos é o balanço oficial de vítimas do dia que muitos consideram ter mudado o mundo de forma irreversível. O canal por cabo História apresenta uma programação temática especial, que analisa diversos aspetos do antes, durante e depois do ataque.

"Os protagonistas, o ataque, a reação da sociedade americana e o impacto nas nossas vidas de um atentado que, pela primeira e única vezes na história, foi visto e narrado em direto em todo o mundo", afirma o canal.

"Terça Negra em Bagdade" é o nome do primeiro programa especial, que vai para o ar no sábado, 8 de setembro, às 20:20.

"Depois da invasão do Iraque, o mundo inteiro esperava atentados contra instituições norte-americanas, mas ninguém pensou que os funcionários da ONU seriam o alvo dos terroristas", refere o História.

O canal por cabo acrescenta ainda que este programa tenta "elucidar" sobre o contexto deste ataque contra a difícil missão das Nações Unidas no Iraque. Para além disso, pode-se ter acesso à investigação posterior e convida o espectador "a refletir sobre o papel da ONU na política mundial de hoje".

Ainda no sábado, 8 de setembro, mas pelas 21:10, "Ayman Al-Zawahiri, O Porta-Voz da Al-Qaeda" é o seguinte programa especial a ser transmitido.

Cirurgião, mentor e doutor de Osama Bin Laden, com a morte deste tornou-se no seu sucessor, tomando o controlo do grupo terrorista Al Qaeda. Em 1998 fundiu formalmente a Yihad Islâmica egípcia com a Al-Qaeda e os Estados Unidos da América (EUA) acusaram-no dos atentados nas embaixadas norte-americanas em África, em 1998, e esteve condenado à morte no Egipto, pelo massacre de 62 turistas estrangeiros em Luxor.

Após a invasão dos EUA no Afeganistão desconhece-se o seu paradeiro, apesar de se ter pensado que estaria nas áreas tribais do Paquistão, com Osama Bin Laden. Em Janeiro de 2006, a CIA lançou um ataque aéreo contra um povo, no seio do qual poderia estar Ayman Al-Zawahiri, mas ficou claro que os relatórios posteriores sobre a sua morte foram "exagerados", já que 17 dias mais tarde apareceu ileso numa das suas habituais mensagens de vídeo que foram emitidas por todo o planeta, recorda o História.

Às 22:00, ainda de sábado, são horas para a "Memória do 11 de Setembro", programa que falará sobre o "National September 11 Memorial", a única estrutura na Zona Zero finalizada para o 10º aniversário do 11 de setembro.

Os sobreviventes dos ataques às Torres Gémeas vão ter destaque na programação especial do História. "Sobrevivi ao 11 de Setembro" relata a forma como um cidadão português e três espanhóis viveram os atentados em Nova Iorque.

"Joaquim Silva, um carpinteiro português, encontrava-se nas Torres Gémeas no momento do impacto. Luis Rojas Marcos, nascido em Sevilha, psiquiatra, autor famoso e presidente executivo do Sistema de Saúde e Hospitais Públicos de Nova Iorque, conta-nos como se encontrava no World Trade Center quando caiu a primeira torre. Ninguém melhor do que ele para relatar-nos, na sua condição de psiquiatra e devido ao cargo que ocupava, o impacto que os atentados tiveram nos cidadãos. Javier Ortega, cozinheiro de Donostia que vivia em frente às torres, fala-nos daquele dia e da difícil época posterior. Por sua vez, José Salgado, emigrado nos Estados Unidos desde os 4 anos, trabalhava no World Trade Center e conseguiu salvar-se, fugindo pelas escadas, apesar de alguns dos seus colegas terem morrido", resume o canal.

O documentário foi produzido e cedido pelo também canal por cabo BIO e vai para o ar no sábado, 8, às 22:45.

Osama Bin Laden, o "homem mais procurado da história", foi alvo de vários ataques para acabar com a sua vida, até que, a 2 de maio de 2011, o objetivo dos Estados Unidos da América foi cumprido.

"Dez formas de matar Bin Laden", que será transmitido no domingo, 9, às 20:20, relata as missões de "busca e destruição" mais importantes levadas a cabo para acabar com a vida do mentor do 11 de Setembro. Este especial descreve estas operações, "graças às declarações de agentes da CIA, das Forças Especiais e de representantes do governo dos EUA", explica o História.

A ação é apresentada no ecrã a partir de arquivos do Exército dos EUA (algumas imagens foram filmadas pelos próprios Serviços Especiais), vídeos de missões militares atuais, análises de combates através de imagens geradas por computador e recriações.

Já passaram 11 anos desde que "a idade do terror começou a sério", enfatiza o canal. O momento em que as Torres Gémeas caíram anunciou um marco histórico de proporções gigantescas e, desde então, nunca é demais dizer que o 11 de Setembro "mudou tudo" e que "nada voltaria a ser o mesmo", complementa.

"As mudanças foram culturais, sociológicas, intelectuais, emocionais e psicológicas, não só em Nova Iorque, mas em todo o mundo", indica. "11 de setembro, os dias seguintes", que vai para o ar no domingo, 9, às 22:00, baseia-se no formato estabelecido por 102 minutos que mudaram os EUA, com material audiovisual de arquivo exclusivo montado sem narração nem entrevistas. "O resultado é um olhar autêntico e honesto do que aconteceu depois da tragédia, uma história sobre a vida num mundo mudado", narra.

A 11 de Setembro de 2001 dois aviões colidiram com as torres gémeas do World Trade Center em Nova Iorque. Imediatamente os meios de comunicação do mundo inteiro fizeram eco dos acontecimentos, relatando a tragédia minuto a minuto. Foi o primeiro atentado terrorista da história emitido em direto e vai ser o tema central de "Como Vivemos o 11 de Setembro", a ser difundido pelo História na segunda-feira, 10, às 22:45.

Há onze anos, "as vidas de todas as pessoas afetadas pela catástrofe do 11 de Setembro mudaram para sempre", escreve o canal, e é o mote para o último programa especial dedicado aos ataques das Torres Gémeras. "11 de setembro, 10 anos depois" é o título do documentário que o História vai exibir.

"Contamos a história da reconstrução da Zona Zero, através de cinco pessoas ligadas pessoalmente aos trágicos acontecimentos. Desde o operário que perdeu o seu irmão e, na busca pelos seus restos mortais, comprometeu-se a trabalhar até que o sítio estivesse completamente novo, até ao promotor imobiliário que escapa da morte e agora vive com a obsessão de reconstruir. São histórias individuais, de uma transformação, desde a desgraça à esperança. Já não é o centro do horror e agora a Zona Zero transformou-se num próspero centro de engenho, vitalidade e otimismo", conclui o canal.

"11 de setembro, 10 anos depois" é difundido na terça-feira, 11, às 22:00.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.