O jornal avança que em causa estava uma denúncia da Comissão Nacional de Eleições, que alegava os comentários de Ricardo Araújo Pereira, João Miguel Tavares e Pedro Mexia sobre as eleições violava o artigo 177 da Lei Eleitoral das Autarquias Locas.

"É inegável que qualquer abordagem e análise política que se faça aos candidatos e seus proponentes, independentemente da natureza do programa, pode influenciar os cidadãos eleitores e, por esse motivo, a lei proíbe qualquer manifestação pública com esse pendor na véspera e no dia das eleições", defendia a CNE, citada pelo Expresso.

Ricardo Araújo Pereira admitiu ainda que iria chamar como testemunha Jaime Gama, caso fosse a julgamento. "Foi numa altura em que se debatia a proibição de jogos em dias de eleições. Então levei uma bola de futebol para juntar as duas abominações: falei de política enquanto dava uns toques. No fim do programa, o Jaime Gama disse-me: ‘Bons toques’. Sobre política nem um comentário", frisou o humorista, segundo o jornal.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.