"Bohemian Rhapsody" recebeu autorização oficial para estrear nos cinemas chineses, o que é considerado pelos analistas uma surpresa por causa da homossexualidade de Freddie Mercury.

Segundo o Deadline, o filme vencedor de quatro Óscares no domingo à noite terá um lançamento limitado a partir de 22 de março, mas chegará a mais cinemas se for bem recebido pelo público.

Embora não seja um tema tabu, a homossexualidade é um tema "sensível" naquele país e  existem leis restritas sobre a sua representação no mundo de entretenimento: segundo a Variety, pelo menos um minuto será cortado à volta das cenas onde o vocalista dos Queen beija outros homens.

Entretanto, já foram censuradas as referências homossexuais no discurso de Rami Malek após ganhar a estatueta de Melhor Ator por "Bohemian Rhapsody".

A rede social Weibo encheu-se de comentários negativos após a Mango TV, uma das estações mais populares na China e uma das duas que exibiram a cerimónia em "streaming", ter trocado "gay men" [homossexuais] por "special group" [grupo especial] na legendagem.

A Lady Gaga aconteceu ainda pior: a sua imagem durante a apresentação de Melhor Atriz foi tapada e também não passou a sua atuação da canção "Shallow" com Bradley Cooper.

A sua nomeação também é ignorada na página da estação, ficando apenas Yalitza Aparicio, Melissa McCarthy, Olivia Colman e Glenn Close e Melissa McCarthy.

A Televisão Central da China manteve Lady Gaga durante a sua transmissão, pelo que muitos utilizadores chineses das redes sociais especularam que a Mango TV tomou a decisão por sua iniciativa para evitar problemas políticos por causa de um alegado boicote do país à artista após um encontro em 2016 com o Dalai Lama, líder espiritual do Tibete.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.