A pandemia de COVID-19 não forçou Hollywood apenas a adiar a estreia de todos os seus grandes "blockbusters" para os próximos meses, como "Um Lugar Silencioso 2", "007: Sem Tempo Para Morrer", "Mulan", "Viúva Negra", "Velocidade Furiosa 9", "Mulher-Maravilha 1984" ou "Mínimos 2".

Há duas semanas, também parou a rodagem de vários filmes previstos para chegar aos cinemas em 2021, bem como a pré-produção e pós-produção de outros projetos, deixando as respetivas equipas mergulhadas na incerteza sobre quando vai ser possível regressar.

Segundo a Variety, existe uma "hipótese remota" de alguns filmes agora parados conseguirem retomar e estar prontos a tempo das datas de estreia que foram anunciadas, mas o mais provável é que venham mesmo a ser adiados.

A publicação especializada avança que esta é a situação que ameaça "Matrix 4", com Keanu Reves, que concluiu os trabalhos em São Francisco e se preparava para começar em Berlim, que tem a estreia nos cinemas anunciada para 21 de maio de 2021; "The Batman", com Robert Pattinson, que terminou quase sete semanas de rodagem em Londres, previsto para 25 de junho de 2021; e "Red Notice", com Dwayne Johnson, Ryan Reynolds e Gal Gadot, o projeto original mais caro de sempre da Netflix, que não anunciou a data de lançamento, e estava em produção há dois meses em Atlanta e se preparava para filmar em Veneza.

"Missão: Impossível 7", com Tom Cruise, tem estreia marcada para 23 de julho de 2021 e a Variety não o coloca entre os títulos que dificilmente vão estar prontos a tempo, mas recorda que estava prestes a começar a rodagem em Veneza antes de Itália ser atingida pela pandemia e a maior parte da história se passa neste país, "tornando difícil para a produção mudar para outro sítio".

"Missão Impossível": coronavírus adia rodagem do próximo filme em Itália
"Missão Impossível": coronavírus adia rodagem do próximo filme em Itália
Ver artigo

A Variety refere que a maioria dos estúdios informou os talentos e os seus representantes que não esperam retomar tudo o que parou, "na melhor das hipóteses", antes de meio de maio.

No entanto, este prazo pode ser considerado "demasiado otimista" pois a situação da pandemia evolui todos os dias: num grande centro da produção da indústria como é Nova Iorque, a previsão é que o pico só seja atingido no final de abril.

Uma fonte ouvida pela publicação acredita que as primeiras produções que vão conseguir recomeçar são as que estão nos EUA, já que se colocam grandes desafios logísticos para outros países por causa da natureza global do COVID-19.

Além de garantir a segurança das suas equipas, os estúdios também estão a tentar perceber como vão ficar os calendários por outra razão: grandes estrelas como Dwayne Johnson, ou Chris Pratt, que estava a fazer "Jurassic World: Dominion", têm poder para convencer os outros projetos que têm em carteira a esperar que acabem os filmes que agora estão parados, mas os atores secundários vão provavelmente ter de desistir do que iam fazer a seguir.

Fontes da Variety dizem que os estúdios já estão a avaliar possíveis substituições, o que confirma que os filmes previstos para 2021 ainda devem passar por grandes alterações artísticas.

Mais informações sobre o COVID-19.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.