Uma notícia surpreendente na galáxia muito distante: a Lucasfilm anunciou que Phil Lord e Christopher Miller deixam a realização do filme sobre a juventude de Han Solo que mostrará as origens do famoso contrabandista.

As razões apontadas são as habituais "diferenças criativas", mas fontes internas em Hollywood não deixam de salientar que a sua partida forçada numa pausa da rodagem é uma situação bastante invulgar: eles foram mesmo despedidos.

De facto, não só a produção começou a 20 de fevereiro, como os dois realizadores, à esquerda em baixo e o segundo à direita entre os atores na foto oficial da produção, estavam envolvidos no projeto desde julho de 2015 e nas decisões criativas.

Por exemplo, na escolha de Alden Ehrenreich como Han Solo e na formação do restante elenco: Donald Glover, Thandie Newton, Phoebe Waller-Bridge, Woody Harrelson, Michael K. Williams, Ian Kenny, Emilia Clarke e Joonas Suotamo.

comunicado que anuncia a decisão com declarações dos envolvidos assegura que se mantém a estreia prevista para maio de 2018.

"Phil Lord e Christopher Miller são cineastas talentosos que juntaram um elenco e equipa incrível, mas tornou-se claro que temos visões criativas diferentes sobre este filme filme e decidimos separar-nos. Um novo realizador será anunciado em breve", referiu Kathleen Kennedy, presidente da Lucasfilm.

"Infelizmente, a nossa visão e processo não estavam alinhados com os nossos parceiros neste projeto. Normalmente não somos fãs da frase 'diferenças criativas',  mas por uma vez este cliché é verdadeiro. Estamos realmente orgulhosos do trabalho espantoso e de classe mundial do nosso elenco e equipa", salientaram Phil Lord e Christopher Miller.

Fontes próximas do estúdio asseguram que o realizador Ron Howard pode assumir a produção, mas nenhum acordo ainda está feito. Com a rodagem tão avançada, também não se sabe como Lord e Miller serão creditados no filme.

Conflitos duravam há meses

De acordo com a Variety, o afastamento dos realizadores acontece após meses de conflitos com Kathleen Kennedy e outros elementos da equipa, além do co-argumentista Lawrence Kasdan.

Segunda a publicação, Miller e Lord ficaram "espantados" por descobrir que não lhes estava a ser dada liberdade para gerir a produção como estavam habituados e revoltaram-se com o controlo apertado na rodagem exercido por Kennedy.

Uma fonte da produção não tem dúvidas em dizer que a relação entre os três nunca correu bem: "Foi um choque de culturas desde o primeiro dia. Ela nem gostava da forma como eles dobravam as meias".

Embora os realizadores tivessem sido "supostamente contratados pela sua visão e marca distintiva de cinema" em relação à saga "Star Wars", Kennedy não aprovava o seu estilo de rodagem e processo de interagir com os atores e a equipa.

"Não lhes foi dada a margem de manobra para fazer o que tinham que fazer", garante a mesma fonte.

Miller e Lord também chocaram com o argumentista Lawrence Kasdan, que questionava muitas das suas decisões e está envolvido na saga desde "O Império Contra-Ataca" em 1980.

"Kathy [Kathleen Kennedy], a sua equipa e Larry Kasdan trabalham à sua maneira há bastante tempo. Sabem como o queijo é feito e é assim que eles querem que seja feito. Tornou-se uma rodagem muito conflituosa", concluiu a fonte da Variety.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.