"O Lobo de Wall Street", um filme de 2013 sobre corrupção na alta finança dos Estados Unidos, está no centro de um escândalo... de corrupção.

A Red Granite Pictures, que produziu o filme de Martin Scorsese com Leonardo DiCaprio, foi incluído na quarta-feira num processo federal nos Estados Unidos que  alega que o estúdio fez parte de um esquema de lavagem de dinheiro de mais de mil milhões de dólares com um fundo de investimento e desenvolvimento chamado 1MDB.

Este pertence ao governo da Malásia, cujo primeiro-ministro, Najib Razak, estaria envolvido no enorme escândalo.

Razak é o padrasto de Riza Aziz, o cofundador da Red Granite Pictures, que contribuiu com os mais de 100 milhões de dólares necessários para financiar o filme.

De acordo com o processo civil de 136 páginas do Departamento de Justiça, entre junho de 2012 e novembro de 2012, uma firma de investimento ligada ao 1MDB enviou 238 milhões de dólares para uma conta controlada por Aziz.

Cerca de 100 milhões de dólares desses fundos foram enviados posteriormente para uma conta de banco ligada ao estúdio de produção, usada para as suas operações, incluindo "O Lobo de Wall Street".

Parte desse dinheiro também foi usado para viagens extravagantes a Las Vegas, onde milhares de dólares foram gastos em jogos no Casino Venetian, de acordo com a acusação.

Entre os que foram convidados a participar no passeio em julho de 2012 estava "um ator principal de 'O Lobo de Wall Street'" que ganhou um Globo de Ouro pelo filme. Embora os documentos do tribunal não tenham o nome do ator, esta é uma clara referência a DiCaprio, que interpretava o corretor Jordan Belfort, que tirou milhões de dólares de investidores antes de ser preso.

O procurador-geral adjunto Leslie Caldwell disse aos jornalistas  que todos os bens e direitos do filme seriam apreendidos por terem como origem a lavagem de dinheiro.

"'O Lobo de Wall Street" arrecadou 392 milhões de dólares e foi candidato a cinco Óscares: Melhor Filme, Realização, Ator, Ator Secundário (Jonah Hill) e argumento adaptado.

"Nem o 1MBD, nem os malaios, viram um centavo do lucro do filme, ou os outros ativos adquiridos com fundos do 1MDB", referiu Caldwell.

"Em vez disso, esse dinheiro foi distribuído por parentes dos responsáveis corruptos do 1MDB e outros", completou o procurador.

A Red Granite Pictures, criada em 2010, nega qualquer envolvimento com os delitos.

Além de "O Lobo de Wall Street", a companhia produziu vários outros filmes, nomeadamente "Doidos à Solta 2".

Trailer "O Lobo de Wall Street".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.