“Douce France” arrecadou o Grande Prémio Ambiente - Câmara Municipal de Seia, anunciou a organização do CineEco em comunicado enviado à agência Lusa.

A obra de Geoffrey Couanon, segundo a organização, “retrata a aventura ecológica e social de um grupo de jovens estudantes sobre o polémico projeto de construção de um complexo comercial - EuropaCity - na sua terra natal”.

O Prémio Antropologia Ambiental – Zurich Seguros foi para “Arica”, de Lars Edman e William Johansson Kalén, e a menção honrosa longa-metragem internacional foi conquistada por Svetlana Rodina, com “Ostrov - Lost Island”.

Na competição internacional de curtas-metragens “Flight to Earth”, de Ignacio Rodó, conseguiu o Prémio Curta-Metragem Internacional – Turistrela, enquanto o Prémio Educação Ambiental - Associação Mares Navegados foi para o filme de animação “#fishingtheplastic”, da autoria de Marina Lobo.

Na competição de séries e reportagens televisivas, o Prémio Televisão foi atribuído ao documentário francês “Vert de Rage, du charbon dans les poumons (Green Warriors: Coal in the Lugs)”, de Martin Boudot.

Na competição de filmes e documentários em Língua Portuguesa, o Prémio Camacho Costa – Lipor, na categoria longa-metragem contemplou Márcia Paraíso e Francisco Colombo com o documentário “Sobre Sonhos e liberdade”.

O Prémio Curta-Metragem em Língua Portuguesa foi conquistado por Bruno Lourenço com “Oso”.

O jovem de Seia Gabriel Ambrósio conquistou o Prémio Panorama Regional – Casa da Passarella com a curta-metragem “Um Quadro de História” e o Prémio Valor da Água – Águas do Vale do Tejo distinguiu “Living Water” de Pavel Borecký.

O júri da juventude atribuiu, entre outros, os galardões: Prémio Juventude Longa-Metragem a “Ophir” (de Alexandre Berman e Olivier Pollet) e menções honrosas a “Douce France” (de Geoffrey Couanon) e a “Arica” (de Lars Edman e William Johansson Kalén).

Portugal, França e Espanha foram os países com maior representação cinematográfica na competição oficial da 27.ª edição do CineEco que decorreu na Casa Municipal da Cultura de Seia, entre 09 e 16 de outubro.

Este ano, o mais antigo festival de cinema ambiental do mundo recebeu 93 filmes de mais de 20 países.

De acordo com a organização, foi uma edição “marcada pelo regresso do público às salas de cinema, com todas as sessões praticamente esgotadas ainda que tivessem sido salvaguardadas todas as regras de segurança e higiene recomendadas pela Direção-Geral de Saúde”.

“A partir de Seia, cidade pequena do interior de Portugal, continuamos a construir um festival para todos e a apostar cada vez mais na produção nacional, sem nunca esquecer o que de melhor se faz em todo mundo. O CineEco voltou a trazer à luz do dia algumas das mais prementes temáticas relacionadas com o Ambiente e já é o centro de discussão das problemáticas que assolam as comunidades e que se relacionam com as alterações climáticas; o lixo tóxico, a poluição atmosférica, a falta de água, entre outros temas”, refere a direção do festival.

A próxima edição do CineEco irá realizar-se entre 8 e 15 de outubro de 2022.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.