São 82 anos de vida e mais de 60 de carreira, mas ainda acontece: Robert Redford considera que foi um erro ter dito publicamente que se ia reformar.

A admissão foi feita tanto à Variety como à People Magazine durante a antestreia em Nova Iorque na quinta-feira à noite do filme "The Old Man & the Gun".

O mesmo que foi anunciado como o último do lendário ator após revelar em agosto que se ia reformar da representação e onde tem como colegas no elenco os vencedores dos Óscares Casey Affleck e Sissy Spacek.

"Isso foi um erro. Nunca devia ter dido isso", explicou à Variety na passadeira vermelha quando lhe perguntaram se ia mesmo reformar-se.

"Se me vou reformar, devia ter-me simplesmente afastado silenciosamente, mas não devia estar a falar disso porque penso que chama demasiado a atenção de uma forma errada. Quero que esteja focada no filme e no elenco", reforçou.

O ator recusou também responder quando foi pressionado a clarificar se "The Old Man & the Gun" não é o seu último filme, dizendo a rir que era melhor manter o mistério.

À Revista People, Redford, que também é um talentoso e premiado realizador, reforçou que o anúncio da reforma estava a desviar as atenções do filme mas acrescentou algo que não fecha completamente a porta a novos projetos.

"Acho que foi um erro dizer que me estava a reformar porque nunca temos a certeza", esclareceu, antes de acrescentar que realmente a sensação que se tinha interiorizado era que talvez tivesse chegado a altura de concentrar esforços "noutra categoria".

"The Old Man & the Gun", comédia dramática onde Redford interpreta o vigarista Forrest Tucker, cuja carreira a assaltar bancos e sucessivas fugas da prisão, mesmo depois dos 60 anos, deixaram as autoridades "às aranhas" e fascinaram o público, estreia em Portugal a 8 de novembro.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.