Halle Berry participou no programa de James Corden na quinta-feira à noite e revelou que existem dois atores com quem nunca mais voltará a trabalhar.

Apesar de não dizer quem eram, deixou pistas que não demoraram a ser desvendadas graças à poderosa "memória coletiva" on-line.

Tudo aconteceu durante o jogo "Spill Your Guts or Fill Your Guts", onde ela e Angelica Huston, que entram no novo filme "James Wick", se juntaram ao apresentador para responder a perguntas potencialmente embaraçosas ou, em alternativa, comer ou beber algo "nojento".

Foi Angelica Huston que leu a pergunta sobre o ator e Berry respondeu que havia "duas pessoas na lista" antes de comer testículos de perú para não revelar as identidades.

No entanto, ficaram pistas: um dos atores já não era tão famoso como antigamente e tinha ido parar à prisão, o outro era "imensamente famoso" e "não muito alto".

A especulação on-line após o programa revelou dois nomes que parecem bastante credíveis.

O primeiro perfil encaixa em Wesley Snipes, o colega de "A Febre da Selva" (1991), com quem namorou e acusou mais tarde de violência doméstica, que esteve preso entre 2010 e 2013 por fuga aos impostos.

Já a descrição do "imensamente famoso" corresponderá a Robert Downey Jr. (Tony Stark e Homem de Ferro no Universo Cinematográfico Marvel), que acidentalmente lhe partiu um braço na rodagem de uma cena de luta em "Gothika" (2003) e Berry se queixou no passado de nunca se ter mostrado suficientemente arrependido.

No mesmo programa, Halle Berry ainda escapou a outro prato nojento ao indicar qual o filme da carreira que percebeu que seria mau ainda durante a rodagem.

"Qual? Existem tantos.", brincou, antes de pedir desculpa a todos os que que trabalharam no filme e indicar que o pior de todos foi 'The Rich Man's Wife' ["Inocência Perversa" em Portugal, de 1996].

"Desculpa, Amy Holden era a realizadora e não estou a tentar criticar as minhas cineastas femininas, mas sabia que não seria a melhor experiência cinematográfica para as pessoas.", revelou sobre o "thriller" de 1996 que não ficou para a história.

"Avançamos para estes filmes sempre com a melhor das intenções, ninguém quer fazer um mau filme. Todos achamos que é uma boa ideia na altura, dizemos 'sim'. E depois por vezes chega-se à rodagem e percebemos 'será que estava drogada quando aceitei fazer isto?", desculpou-se.

REVEJA O SEGMENTO.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.