Não há filmes na programação principal do Festival de Cinema de Veneza anunciada esta segunda-feira, que inclui filmes de Pedro Almodóvar, Ridley Scott, Jane Campion e Paolo Sorrentino.

No ano passado, "Listen", de Ana Rocha de Sousa, conseguiu o feito histórico de ganhar seis prémios, incluindo o Leão do Futuro para uma primeira obra e o prémio especial do júri da competição "Horizontes".

O festival de cinema mais antigo do mundo tem sido uma rampa de lançamento de filmes que entrarão na corrida aos Óscares, como "La La Land", "O Primeiro Encontro", "Três Cartazes à Beira da Estrada", "A Forma da Água", "Roma", "A Favorita", "Marriage Story", "Assim Nasce uma Estrela", "Joker" e "Nomadland".

A 78.ª edição do festival de Veneza, hoje apresentada pelo diretor artístico Alberto Barbera, decorrerá de 1 a 11 de setembro e abrirá com "Madres Paralelas", de Pedro Almodóvar, um dos filmes da competição oficial.

"A qualidade média dos filmes está mais elevada do que o habitual", confessou Alberto Barbera.

"É como se a pandemia tivesse estimulado a criatividade", acrescentou.

A competição pelo Leão de Ouro contará ainda com, entre outros, "America Latina", dos irmãos Damiano e Fabio D'Innocenzo, e "La caja", segunda longa-metragem do realizador venezuelano Lorenzo Vigas, já premiado em Veneza em 2015 com o Leão de Ouro.

O brilhante casal argentino Gastón Duprat e Mariano Cohn volta pela terceira vez ao Festival com o filme "Competição Oficial", protagonizado por Penélope Cruz e Antonio Banderas.

Na competição perfilam-se ainda várias adaptações literárias, nomeadamente "The power of the dog", de Jane Campion, a partir de uma obra homónima de Thomas Savage, "Illusions perdues", de Xavier Giannoli, que adapta Honoré de Balzac, e "The lost daughter", a primeira longa-metragem da atriz Maggie Gyllenhal a partir de um dos livros da tetralogia de Elena Ferrante.

Destaque ainda para a inclusão de "Spencer", de Pablo Lorraín, com Kristen Stewart no papel de princesa Diana, "É stata la mano di dio", do italiano Paolo Sorrentino, e "Sundown", do cineasta mexicano Michel Franco, que causou grande impacto no ano passado com "Nuevo Orden".

Fora de competição, serão estreados "Dune", adaptação de um clássico da ficção científica por Denis Villeneuve - e cuja estreia foi várias vezes adiada por causa da pandemia - e "O Último Duelo", de Ridley Scott, com argumento e interpretação de Matt Damon e Ben Affleck, ao lado da atriz Jodie Comer.

Este ano o júri será presidido pelo realizador sul-coreano Bong Joon Ho, cuja consagração internacional se deu em 2019 com "Parasitas".

Quanto aos prémios de carreira, nesta edição serão atribuídos o Leão de Ouro ao ator e realizador italiano Roberto Benigni e à atriz norte-americana Jamie Lee Curtis.

A acompanhar a entrega do prémio a Lee Curtis, Veneza exibirá, fora de competição, o filme "Halloween Kills", de David Gordon Green.

No programa "Final Cut" de Veneza, para obras em fase de finalização, estará o documentário "As noites ainda cheiram a pólvora", do realizador moçambicano Inadelso Cossa, numa coprodução entre Moçambique, Alemanha, França, Noruega, Países Baixos e Portugal.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.