John Boyega recebeu o apoio de Hollywood após fazer um discurso sobre George Floyd, violência policial e racismo na marcha Black Lives Matter em Londres que disse recear acabar com a sua carreira.

A manifestação faz parte das muitas desencadeadas por causa da morte de George Floyd, de 46 anos, a 25 de maio, após um polícia ter colocado o joelho no seu pescoço durante quase nove minutos em Minneapolis (EUA).

Numa invulgar mensagem bem longe da promoção da "galáxia muito, muito distante", a conta oficial "Star Wars" (ou seja, as poderosas Lucasfilm e Disney) apoiou inequivocamente o ator que interpretou Finn na mais recente trilogia, citando partes do discurso e chamando-lhe "o nosso herói", colocando ainda uma ligação precisamente para ver tudo o que ele disse na quarta-feira à tarde em Hyde Park.

Ainda da saga, destacam-se os apoios do ator Mark Hamill e do realizador Rian Johnson ("Os Últimos Jedi").

"Somos uma representação física do nosso apoio a George Floyd. Somos uma representação física do nosso apoio a Sandra Bland. Somos uma representação física do nosso apoio a Trayvon Martin. Somos uma representação física do nosso apoio a Stephen Lawrence", disse o ator de 28 anos, recordando os nomes de recentes vítimas negras de violência policial.

O ator, que também entrou no filme "Detroit", que retratava um tema de contornos semelhantes ocorrido em 1967, mostrou-se por vezes visivelmente comovido: "As vidas dos negros sempre tiveram importância. Sempre fomos importantes. Sempre quisemos dizer alguma coisa. Sempre conseguimos, independentemente de tudo. E agora é a hora. Não estou à espera".

"Estou a falar-vos do meu coração. Não sei se vou ter uma carreira depois disto, mas que se lixe", admitiu.

"Preciso que percebam como esta m**** é dolorosa. Preciso que percebam como é doloroso ser lembrado todos os dias que a sua raça não significa nada e que isso não é mais o caso, isso nunca foi o caso", continuou o ator, que reforçou aos manifestantes a importância dos protestos se manterem pacíficos e organizados "porque eles querem que a gente estrague tudo".

Foram vários os realizadores e atores que prometeram que estariam do lado de John Boyega, dizendo que trabalhariam com ele sem qualquer problema: no influente grupo estão Jordan Peele (cineasta de "Foge" e "Nós"), Lin-Manuel Miranda ("Hamilton", "O Regresso de Mary Poppins"), Christopher Miller ("Agentes Secundários", "O Filme Lego"), Cathy Yan ("Birds of Prey") ou Matthew A. Cherry (o recente vencedor do Óscar pela curta "Hair Love").

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.