A Disney voltou a alterar as datas de estreia dos seus próximos filmes por causa da COVID-19, dando praticamente 2020 por perdido nos cinemas.

As projeções de quebra das receitas de cinema no mercado americano entre 70 a 80% ficam asseguradas com os novos adiamentos conhecidos esta quarta-feira (23), numgrande golpe para os cinemas que reabriram portas ao fim de vários meses.

Ainda assim, o maior estúdio de Hollywood não optou por lançar qualquer filme no seu serviço de streaming e manteve a estreia da animação da Pixar "Soul" para 20 de novembro, uma decisão que, segundo a publicação especializada Variety, surpreendeu algumas pessoas da indústria.

Por ser com pouca antecedência, a alteração mais marcante é a do adiamento de "Viúva Negra" de 6 de novembro para 7 de maio de 2021, praticamente um ano em relação à data que estava prevista antes da pandemia, 1 de maio de 2020.

O filme é uma prequela que traz de volta a personagem de Scarlett Johansson para uma história que decorre entre "Capitão América: Guerra Civil" e "Vingadores: Guerra do Infinito".

Em consequência, também as outras produções da Marvel sofrem alterações: "Eternals" passou de 12 de fevereiro para 5 de novembro de 2021; e "Shang-Chi and the Legend of the Ten Rings" de 7 de maio para 9 de julho de 2021.

Kumail Nanjiani, uma das estrelas de "Eternals", apoiou a alteração: "A Marvel tomou a decisão correta e responsável. Existe uma pandemia. Nada é mais importante do que a saúde e as vidas. Não posso dizer às pessoas para ir a uma sala de cinema até sentir que é seguro ir a uma. Tomem cuidado. Prometo que a espera vai valer a pena!"

Já a nova versão de "West Side Story", de Steven Spielberg, não vai estar na corrida aos próximos Óscares porque adiou praticamente um ano: passou de 18 de dezembro para 10 de dezembro de 2021.

West Side Story

Para a data deixada livre por "West Side Story" passou "Morte no Nilo", o último grande filme de Hollywood que estava anunciado para estrear em outubro (23).

"Deep Water", um filme de Adrian Lyne previsto para a 13 de novembro, adiou para 13 de agosto de 2021.

A Disney não deixou os cinemas sem "nada", tendo antecipado de 4 de dezembro para 23 de outubro "The Empty Man", a adaptação de uma banda desenhada com James Badge Dale, Samantha Logan e Joel Courtney.

Apesar disso, os próximos "blockbusters" nos cinemas por agora são "Soul" e "007: Sem Tempo Para Morrer", anunciados para 20 de novembro.

Apesar de muitas salas a nível internacional estarem a funcionar, continuam fechadas muitas das salas de cinema de Los Angeles, Nova Iorque e São Francisco, que representam 25% das receitas de bilheteira nos EUA.

Essa situação tem afetado "Tenet", de Christopher Nolan, o primeiro "blockbuster" de Hollywood estreado durante a pandemia, que arrecadou 251 milhões de dólares a nível mundial, mas apenas 36 milhões nos EUA e Canadá.

A pandemia de COVID-19 já provocou pelo menos 971.677 mortos e mais de 31,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (201.120) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de 6,9 milhões).

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.