Há 40 anos que Mark Hamill está envolvido em "Star Wars", a maior saga cinematográfica de todos os tempos. E embora a sua personagem, Luke Skywalker, não entre bem na definição de "super-herói", pode dizer-se que a comparação não é despropositada.

Por outro lado, ele está familiarizado com o género propriamente dito: uma faceta menos conhecida da sua carreira é que desde 1992 que tem sido, de forma intermitente, a voz do Joker, da DC Comics, em animações.

Na passadeira vermelha dos Tony, os prémios máximos do teatro americano, o ator deu a sua opinião sobre o atual e muito preenchido panorama de filmes de super-heróis dominado pela Marvel e DC, fazendo uma crítica velada e dando um conselho.

"Não sei o que se está a passar com os filmes de super-heróis. São fantásticos, mas acho que estamos a chegar a um ponto de sobressaturação", explicou ao USA Today.

"É por isso que a história é tão importante, pois os artifícios e o resto só funcionam até certo ponto. É isso que eu quero, melhores histórias", concluiu.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.