Nas décadas de 40 e 50, uma das maiores estrelas de Hollwyood celebrizou-se por fazer filmes que envolviam sempre os seus dotes de nadadora em piscinas de dimensões cada vez mais gigantescas. Esther Williams fez várias comédias musicais de enorme êxito popular, com números de natação sincronizada cada vez mais delirantes, com dezenas de figurantes e mergulhos de alturas gigantescas. A MGM foi o seu estúdio de eleição e aí contracenou com atores como Frank Sinatra, Gene Kelly, Van Johnson ou Ricardo Montalban. A atriz faleceu durante o sono, aos 91 anos, segundo o seu agente Harlan Boll.

Na juventude, apaixonou-se pela natação e tencionava competir nos Jogos Olímpicos de 1940, que seriam cancelados devido à Segunda Guerra Mundial. Por essa altura, além de um conjunto de fotos de fato de banho que se tornaram muito populares, Williams participou ao lado de Johnny Weissmuller num espetáculo aquático de sucesso em Hollywood, e foi aí que atraiu a atenção de um agente da MGM.

Assinado o contrato com o estúdio em 1941, Esther passou a ter aulas de interpretação e dicção, surgindo em algumas curtas-metragens e papéis secundários até ter o seu primeiro filme a cores e o seu primeiro papel protagonista, «Escola de Sereias», em 1944, ao lado de Red Skelton e Basil Rathbone. A fita centrava-se já na sua silhueta em fato de banho e nas suas habilidades de nadadora e foi um êxito enorme.

A partir daí a sua carreira alternar-se-ia entre comédias musicais com piscina e comédias românticos mais convencionais, quase sempre com sucesso. Até final da década, brilhou em fitas como «Romance Sensacional» (1945), ao lado de Van Johnson com quem faria mais quatro filmes, «Fiesta», com Ricardo Montalbán (1947), com que rodaria mais duas fitas, «A Tentação de Todos» (1948), «A Rainha das Sereias» (1949) e «A Linda Ditadora» (1949), ao lado de Gene Kelly e Frank Sinatra.

Nos anos 50, os seus musicais tornaram-se cada vez mais sumptuosos e delirantes, com piscinas cada vez maiores, como «A Rainha do Mar» (1952), «Fácil de Amar» (1953) e «A Sereia Perigosa» (1953, que tem uma cena em que nada com Tom e Jerry). O seu sucesso parecia não ter limites, mas com o declínio do cinema clássico e dos próprios filmes musicais em meados dessa década, a sua carreira começou também a decair.

Em 1956 deixou a MGM e o seu percurso acompanhou a saída da ribalta de muitas estrelas do cinema clássico. Williams, porém, optou pouco depois por sair do cinema em vez de prosseguir em filmes sem brilho e a partir daí fez apenas aparições esporádicas na televisão.

Esther Williams foi casada quatro vezes, a terceira das quais com o ator Fernando Lamas, com o qual permaneceu 13 anos, até à morte dele.