O ator sueco, que participou na primeira adaptação ao cinema dos livros da saga "Millennium" ao lado da atriz Noomi Rapace, morreu aos 56 anos, depois de uma luta contra o cancro do pulmão.

No cinema, tornou-se um dos rostos principais do policial escandinavo, primeiro no papel do oficial da polícia John Banck na extensa na série "Beck" na segunda metade dos anos 90 (em vários filmes feitos para televisão mas que acabaram por sair em cinema), e depois como o jornalista Michael Blomkvist na trilogia de filmes "Millennium", adaptado da obra de Stieg Larsson.

"É com profunda tristeza que confirmo que o nosso amado Michael, um dos mais respeitados e talentosos atores da Suécia, morreu tranquilamente rodeado pela família após uma longa luta contra o cancro do pulmão", afirmou o seu representante num comunicado, que afirmava ainda que "a alegria e paixão de Michael eram contagiosas para quem o conheceu e amou. O seu encanto e carisma eram inegáveis e o seu amor pelas artes era sentido por todos aqueles que tiveram o prazer de trabalhar com ele".

Formado pela Academia de Teatro de Malmö, Nykvist foi fazendo trabalhos diversos para o teatro, cinema e televisão até se distinguir inicialmente na série de oito filmes da série "Beck", em 1997 e 1998, e na comédia amarga "Together" (2000), de Lukas Moodysson, que lhe deu a primeira visibilidade internacional.

O grande sucesso europeu de "Como se Fosse o Céu", nomeado ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro pela Suécia, sedimentou a sua notoriedade internacional, que foi consolidada em definitivo com o enorme êxito que foi em 2009 e 2010 a adaptação ao cinema da trilogia de romances policiais de Stieg Larsson: "Millennium 1 - Os Homens que Odeiam as Mulheres", "Millennium 2 - A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo" e "Millennium 3 - A Rainha no Palácio das Correntes de Ar".

O sucesso internacional destes filmes abriu as portas de Hollywood aos seus dois protagonistas: Nykvist no papel do jornalista de investigação Michael Blomkvist e Noomi Rapace como a singular Lisbeth Salander.

Infelizmente, o ator não teve tempo de provar o seu valor no cinema americano para lá dos papéis de vilão, que cumpriu com vigor impressionante em "Missão Impossível: Operação Fantasma", "John Wick" e "Identidade Secreta".

Entre os projetos que deixou prontos antes de falecer, estão os muito aguardados "Radegund", o novo filme de Terrence Malick, sobre Franz Jägerstätter, um objetor de consciência austríaco que se recusou a lutar pelos nazis na Segunda Guerra Mundial, e "Kursk", assinado por Thomas Vinterberg, sobre o desastre do submarino russo do título.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.