Artigo

Morreu o realizador espanhol Basilio Martín Patino

O realizador espanhol Basilio Martín Patino, autor de um cinema intimista censurado durante a ditadura franquista, morreu este domingo, em Madrid, aos 86 anos, informou a Academia Espanhola de Cinema.

Realziador, produtor e argumentista, Martín Patino foi uma referência do chamado "Novo Cinema Espanhol", com filmes e documentários como "Del amor y otras soledades", "Los paraísos perdidos" e "Octavia".

"Morreu Basilio Martín Patino, realizador de filmes como 'Canciones para después de una guerra' ou 'Nueve cartas a Berta'", twitou a Academia das Artes e Ciências Cinematográficas de Espanha.

Nascido em Salamanca em 1930, Martín Patino estreou-se em 1965 com "Nueve cartas a Berta", produção vencedora da Concha de Prata no Festival de San Sebastián.

Depois de muitos dos seus filmes terem sido censurados pela ditadura de Francisco Franco (1939-1975), filmou clandestinamente "Queridísimos verdugos" e "Caudillo".

A sua última longa metragem de ficção foi "Octavia", apresentada em 2002 no Festival de San Sebastián.

Martín Patino recebeu em 2005 a Medalha de Ouro da Academia espanhola de Cinema por uma obra "silenciosa, mas coerente, de um cineasta que permanece recluso na privacidade do seu trabalho".

Comentários