Do imenso coro de elogios que
«A Rede Social» recebeu desde a estreia, o que mais tem sido recorrente é o dirigido ao argumento, da autoria de
Aaron Sorkin, adaptado do livro de Ben Mezrich «Milionários Acidentais». Se há Óscar para o filme de
David Fincher em cuja vitória toda a gente aposta é o de Melhor Argumento.

Mesmo assim, a competição é forte, já que todos os filmes nomeados estão também na corrida para o Óscar de Melhor Filme, sendo todos contendores de peso. Mesmo assim, a vitória recente dos irmãos Coen parece retirar alguma hipótese a
«Indomável», e as eventuais surpresas de
«Despojos de Inverno» ou
«127 Horas» só se justificariam se os próprios filmes tivessem uma dinâmica de vitória em toda a linha, que a falta de nomeação a Melhor Realizador torna improvável.

A surpresa real poderia ser
«Toy Story 3», o filme mais elogiado do ano mas que tem contra si o preconceito da Academia em relação aos filmes de animação. Quanto à dúvida já muito colocada sobre a razão de colocar um filme com um argumento original na categoria de Melhor Argumento Adaptado, ela é explicada pelas regras da Academia no que diz respeito aos argumentos: tudo o que é adaptado de obras pré-existentes entra nesta categoria, incluindo sequelas, adaptadas de personagens e situações criadas em filmes anteriores.

Os nomeados

Danny Boyle e
Simon Beaufoy, por
«127 Horas»

Aaron Sorkin, por
«A Rede Social»

Michael Arndt, por
«Toy Story 3»

Joel Coen e
Ethan Coen, por
«Indomável»

Debra Granik e
Anne Rosellini, por
«Despojos de Inverno»

E o vencedor é:
Aaron Sorkin, por
«A Rede Social»

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.