"Green Book" foi o surpreendente vencedor dos Óscares anunciado por Julia Roberts. O filme só tinha cinco nomeações e ganhou três estatuetas: Melhor Filme, Ator Secundário (Mahershala Ali) e Argumento Original, sobre a história da amizade entre o famoso pianista negro Donald Shirley e o seu motorista branco Tony 'Lip', estabelecida durante uma viagem pelo sul dos Estados Unidos em plena época da segregação nos anos 1960.

Quem não ficou feliz com a vitória de "Green Book" na categoria de Melhor Filme foi Spike Lee, que venceu um Óscar pelo argumento Adaptado de "BlacKkKlansman: O Infiltrado". No final da cerimónia, na sala de imprensa, o realizador lembrou que "sempre que alguém está a conduzir alguém, eu perco", numa referência à vitória de "Miss Daisy" em 1989, no ano em que o seu "Não Dês Bronca" nem recebeu nomeações.

De acordo com a Variety, no momento em que  Julia Roberts anunciou "Green Book" como vencedor do Óscar para Melhor Filme, Spike Lee abanou os braços em forma de protesto, antes de tentar sair da sala. No entanto, segundo a revista, antes que pudesse sair, o realizador foi forçado a voltar ao seu lugar.

Questionado sobre a sua expressão facial quando o prémio foi anunciado, o cineasta disse ter pensado que estava num jogo dos New York Knicks e que o árbitro errou, evitando falar diretamente do filme protagonizado por Viggo Mortensen e Marshala Ali, que venceu o Óscar de melhor ator secundário.

"Este filme, quer tivéssemos ganhado o melhor filme ou não, vai resistir ao teste do tempo por estar do lado certo da história", disse Spike Lee sobre "BlackkKlansman - O Infiltrado", que dirigiu, e que esteve nomeado para três estatuetas e venceu a de melhor argumento adaptado.

Este foi o primeiro Óscar na longa carreira do cineasta afro-americano, que escreveu o argumento em conjunto com Charlie Wachtel, David Rabinowitz e Kevin Willmott.

Com um copo de champanhe na mão, que anunciou ser o sexto da noite, o realizador falava nos bastidores da cerimónia dos prémios da Academia, onde vários afro-americanos foram distinguidos.

Sipke Lee sublinhou que, "se não fosse" por April Reign e o movimento que iniciou há quatro anos, #OscarsSoWhite, ele não teria pisado o palco com uma estatueta dourada na mão.

"Abriram a Academia para a tornar mais parecida com a América, mais diversa", disse o cineasta, mencionando que pelo menos três mulheres afro-americanas levaram Óscares para casa na 91.ª edição dos prémios.

Jordan Peele, realizador de "Get Out", também não terá ficado feliz com a vitória de "Green Book". De acordo com a imprensa, o norte-americano não bateu palmas depois do anúncio.

Veja aqui a lista de todos os vencedores.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.