O sindicato norte-americano de argumentistas (Writers Guild of America, WGA) baralhou a corrida aos Óscares com os seus prémios, entregues no sábado à noite em cerimónias que decorreram em simultâneo em Los Angeles e Nova Iorque.

"Parasitas" ganhou o prémio de Melhor Argumento Original e faz história: é o primeiro filme não falado em inglês a receber a distinção.

Hollywood deu muitos sinais de admiração pelo filme do sul coreano Bong Joon-ho sobre duas famílias de realidades económicas muito diferentes que se cruzam, mas o favoritismo nos argumentos originais era de "Marriage Story" e ainda estavam nomeados "1917", "Booksmart" e "Knives Out".

Há analistas que acreditam que o favoritismo de "1917" aos Óscares pode ser travado pelo vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes, apesar de este já ter "garantido" o prémio na categoria de Melhor Filme Internacional.

Já "Jojo Rabbit”, a sátira de Taika Waititi sobre um rapaz de 10 anos que tem Hitler como amigo imaginário, foi considerado o Melhor Argumento Adaptado, vencendo o favorito "Mulherzinhas" e ainda "Joker", "O Irlandês" e "Um Amigo Extraordinário" (no original, "A Beautiful Day in the Neighborhood").

O sindicato dos argumentistas foi o último dos quatro grandes de Hollywood a entregar os seus prémios, oito dias antes da cerimónia dos Óscares, marcada para domingo, 9 de fevereiro: os produtores e realizadores escolheram "1917", enquanto o sindicato dos atores deu o prémio de elenco precisamente a "Parasitas".

"Era Uma Vez em... Hollywood", de Quentin Tarantino, um  dos favoritos ao Óscar de Melhor Argumento Original, e "Dor e Glória", de Pedro Almodóvar, não estavam nomeados para os prémios do WGA: todos os anos, vários filmes são excluídos porque apenas podem ser nomeados argumentos escritos dentro da jurisdição do acordo de negociação coletivo do sindicato, conhecido como "Minimum Basic Agreement", ou o equivalente em alguns sindicatos de argumentistas internacionais.

Veja a lista completa de vencedores
Veja a lista completa de vencedores
Ver artigo

Por essa razão, menos de dois terços dos vencedores dos WGA acabaram por ganhar os Óscares. No ano passado, nenhum coincidiu: o sindicato distinguiu a adaptação de “Can You Ever Forgive Me?” e o argumento original de "Eighth Grade", mas as estatuetas douradas foram para "BlacKkKlansman" e "Green Book".

O documentário da HBO "The Inventor: Out for Blood in Silicon Valley", de Alex Gibney, recebeu o prémio na sua categoria.

Também nas séries se destacou o domínio da HBO nas categorias mais importantes: "Succession" ganhou nos dramas e ainda pelo episódio "Tern Haven"; "Barry" nas comédias; "Chernobyl" nas minisséries (argumento original); e "Watchmen" nas novas séries.

A minissérie "Fosse/Verdon", do canal FX, ganhou o argumento adaptado.

Para a Netflix foram três prémios de menos destaque: pelo argumento do episódio-piloto da série de comédia "Dead to Me"; pela série "Special"; e pela comédia em sketches "I Think You Should Leave with Tim Robinson".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.