Uma importante organização de cineastas franceses irá propor a suspensão de um dos seus membros, Roman Polanski, numa iniciativa inédita dos seus colegas, após uma nova acusação de violaçãp contra o realizador.

Esta segunda-feira, o conselho administrativo da Sociedade Civil de Autores, Realizadores e Produtores (ARP) disse que "votou a aplicação de novos procedimentos de suspensão para qualquer membro que tenha sido acusado pela Justiça e expulsão para aqueles que foram condenados, especialmente por crimes de natureza sexual", segundo o presidente Pierre Jolivet.

"Essa suspensão afetaria Roman Polanski", salientou Jolivet, cuja associação junta cerca de 200 cineastas.

A data de uma assembleia extraordinária que votará estas mudanças estatutárias ainda não foi determinada.

O realizador de "Chinatown" e "O Pianista", de 86 anos, é um fugitivo da Justiça dos Estados Unidos, onde foi acusado em 1977 de violar uma menor de 13 anos.

Nos últimos anos, outras mulheres alegaram terem sido vítimas de abuso sexual.

Somou-se a isto, este mês, a declaração de uma fotógrafa francesa, Valentine Monnier, que garantiu à imprensa que o diretor franco-polaco a violou em 1975, quando tinha 18 anos.

A acusação, desmentida por Polanski através do seu advogado, abalou o apoio de que desfruta na indústria francesa do cinema nas últimas décadas.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.