Um dos atores norte-americanos mais críticos da intervenção de Donald Trump tem sido Michael Shannon, nomeado duas vezes ao Óscar por "Revolutionary Road" e "Animais Noturnos", e intérprete intenso e elogiado de fitas como "A Forma da Água", "Histórias de Caçadeira", "Homem de Aço" e a série "Boardwalk Empire".

Mesmo assim, o intérprete assumiu em entrevista à "Playboy" que nunca interpretaria o atual Presidente dos EUA. Quando o entrevistador o confronta com o facto dele ter dito no passado que gosta de entrar na cabeça de "personagens más em sofrimento", o ator respondeu que o político "se está a divertir como nunca" e que é incapaz de qualquer tipo de reflexão.

Na opinião de Shannon, Trump "nem sequer tem de trabalhar. Todo o trabalho duro que a maioria das pessoas tem de fazer para ser presidente dos EUA... ele saltou por cima disso tudo. O raio do homem nem sequer sabe o que é a Constituição. Ele não tem qualquer noção de História ou política ou lei ou o que quer que seja. Ele está de olhos vendados a atirar dardos a um autocarro em movimento".

O ator não só se recusaria a interpretar o presidente como preferiria que Trump não fosse a figura central de qualquer filme, mesmo que fosse crítico da sua administração: "Eu preferiria que ele se desvanecesse até deixar de existir. Não quereria memorializá-lo ou celebrá-lo de forma alguma".

Em relação aos apoiantes do Presidente, Shannon também não é meigo nas palavras: "alguém que pensa que Trump está a fazer um bom trabalho... não se pode ter qualquer conversa com essa pessoa. Eu sei que demos estender a mão e tudo isso, mas isso para mim é como enfiar a mão numa ventoinha".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.