Charlize Theron quase teve o seu momento #MeToo e foi logo na primeira experiência em Hollywood .

Numa entrevista esta segunda-feira a Howard Stern com Seth Rogen para falar do seu novo filme, "Seduz-me Se És Capaz", recordou a primeira audição, quase com 19 anos [o que seria corresponderia ao outono de 1993] e quando ainda era modelo.

A agência disse-lhe para ir a casa de um produtor num sábado às nove da noite. Quando chegou, ele recebeu-a de pijama.

Embora não tenha mencionado o nome, indicou que "era muitíssimo importante e ainda é muito importante", com um grande ego.

A atriz descreveu a música ambiente e como o produtor se sentou muito perto dela, lhe serviu álcool e disse que não precisava ler as páginas que lhe tinham dado pois só iam conversar.

A certa altura, uma mão foi colocada no joelho de Charlize Theron, que não soube como reagir a não ser sair do local.

"Nem sei como saí da casa, mas saí. Porque teria acabado realmente mal. Estava a conduzir o meu Ford Fiesta, que estava a alugar, a subir Laurel Canyon e estava tão zangada comigo mesma por não ter dito nada. Estava tipo 'não sou esse tipo de raparida. Porque é que não lhe disse para se ir lixar?'", recordou.

Oito anos mais tarde, já conhecida na indústria, teve oportunidade de confrontar o produtor quando este lhe ofereceu um trabalho, revelando que foi ao encontro "puramente apenas para ter o meu momento".

"Ele disse 'Prazer em conhecê-la'. E eu disse, 'Não, já nos tínhamos encontrado'. E ele não tinha qualquer memória disso. E o seu sócio estava mesmo ao lado dele e estava embaraçado", recordou.

Charlize Theron contou que fez uma descrição pormenorizada e nem assim o produtor se recordou, o que, como explicou Howard Stern, indica que o deve ter feito mais do que uma vez.

VEJA A ENTREVISTA.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.