“Há aquelas bandas que, essencialmente, só estão de volta para fazer dinheiro – tocam os seus álbuns antigos e, talvez algures nos recônditos das suas mentes, achem que poderá haver um futuro”, disse, numa conferência de imprensa, continuando: “Não estou incluído nesse negócio, obviamente. Aliás, condeno toda e qualquer pessoa que esteja nesse negócio mas não admita que esteja nesse negócio. Quando os Soundgarden voltaram e apenas tocaram as suas músicas antigas, ótimo. Eu era fã dos Soundgarden, mas chamem as coisas pelo nome. Eles só andam aí para conseguirem mais umas notas na caixa registadora; o mesmo acontece com os Pavement e com outras bandas”.

Sobre os Smashing Pumpkins, que lançaram em junho passado um novo álbum de originais, “Oceania”, Billy Corgan revelou terem cada vez mais fãs jovens – o que julga essencial para a sobrevivência do grupo: “Sem os fãs jovens não haveria futuro para os Smashing Pumpkins. Não podemos manter um negócio baseado em ouvintes de outrora. Não só é aborrecido, como também não é um bom negócio”.

Sara Novais

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.