A 16.ª edição do FIS, promovida pela Sons da Terra e com apoios institucionais da Câmara de Miranda do Douro e Junta de Freguesia de Sendim, no distrito de Bragança, vai decorrer entre os dias 30 de julho e 3 de agosto.

O largo D. João III, em Miranda do Douro, acolhe a abertura do festival com as atuações de Andrés Peñabad, vindo da Galiza, e dos castelhanos/leoneses Cecina de Léon Folk.

Já no segundo dia, e de regresso a Sendim, e ao Parque das Eiras, os Arrefole, uma esperança da música de raiz vindos do Porto juntam-se aos asturianos Seu e aos castelhanos/leoneses Cecina de Léon Folk.

O primeiro de agosto será um dia grande para a música folk ibérica com a atuação de Brigada Victor Jara, Andrés Peñabad e Rare Folk da Andaluzia, considerados referência musical naquela região de Espanha.

"É na zona do chamado Arco Atlântico que se verifica um maior dinamismo das músicas de raiz folk e tradicionais", justificou, em declarações à agência Lusa, o diretor do FIS, Mário Correia.

Segundo os mentores do FIS, são ainda "muitas mais as novidades", desde logo uma "aposta forte" na animação das ruas e praças de Sendim, com atuações de gaiteiros mirandeses e músicos amadores vindos um pouco de todo o país.

O Festival Celta oferece um vasto e diversificado conjunto de atividades paralelas, destacando-se a colaboração de entidades governamentais asturianas, como a Direção Geral de Política Linguística.

Não faltarão, ainda, as habituais oficinas das gaitas e danças mirandesas e as celebrações intercélticas na "indomável" Taberna dos Celtas.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.