Aimee Mann (na foto), Mayra Andrade, Patxi Andión, Au Revoir Simone ou Scott Matthew, na frente internacional, Ana Bacalhau, Anamar, Madredeus ou UHF, na frente nacional, são alguns dos nomes que vão passar pelas salas da avenida da Boavista nos próximos três meses, garantindo diversidade de géneros à programação.

“Num momento de emergência temos de privilegiar e salvaguardar os agrupamentos residentes da Casa da Música, é isto que tentamos fazer e tentamos combinar depois uma eventual falha na oferta de outros genéricos musicais, como é a música world ou a música pop-rock e estamos a consegui-lo fazer através de parcerias com promotores privados”, afirmou hoje o diretor artístico António Jorge Pacheco na apresentação da programação.

Segundo afirmou, apesar dos constrangimentos financeiros, “nos finais de julho, os números de espetadores e de bilhetes vendidos estavam acima do previsto” e tudo aponta para que seja possível “encerrar o ano com as contas bem dentro do orçamento”.

Entre as novidades apresentadas para este trimestre está o festival “Outono em jazz”, que decorrerá entre 11 e 13 de outubro, “três dias de grande intensidade com uma grande diversidade de géneros”, segundo António Jorge Pacheco. Django Bates Beloved Trio, Gregory Porter, Soweto Kinch e European Jazz Orchestra serão alguns dos nomes presentes. De assinalar que, em novembro, The John Scofield Überjam Band também atuará nesta sala.

Outro festival novo na programação da Casa da Música é “Futurismus”, que decorrerá entre 19 e 26 de novembro, que em ano de Itália, tendo como ponto de partida o movimento futurista italiano, que vai trazer composições representativas desta estética mas também com a exibição de filmes e uma incursão na vertente nacional, através do “Manifesto anti-Dantas” de Almada Negreiros.

O Optimus Clubbing deverá manter a sua periodicidade mensal, tendo só sido anunciada a primeira data, 5 de outubro, com um programa inteiramente feminino. As nova-iorquinas Au Revoir Simone terão a companhia de Eleanor Friedberg, um dos elementos dos The Fiery Furnaces, mas também de Emmy Curl e dos DJ set de Sininho e Kollectiv.

No Dia da Música, voltará a haver uma programação especial, desta vez com a Banda Móvel, uma trupe de músicos e atores que vai percorrer alguns espaços do Porto, e com um concerto com uma orquestra de 100 flautas e 100 saxofones, que está a ser preparado pelo Serviço Educativo com diversas escolas e academias de música da região.

Com uma organização externa à Casa da Música, o Misty Fest vai assentar arraiais naquele espaço trazendo, entre 12 e 17 de novembro, Blasted Mechanism, Ian McCulloch, Scott Matthew, Anamar e Manuel Fúria.

António Jorge Pacheco chamou ainda a atenção para o facto de estarem previstos 10 concertos fora de Portugal, neste trimestre, dos agrupamentos da Casa da Música, em palcos como o Festival de Música de Estrasburgo, Colónia ou Marselha, Capital Europeia da Cultura em 2013.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.