O combinado eras às 11 horas nos estúdios do Rui Veloso, nos arredores de Lisboa, mas a nossa equipa perdeu-se e atrasou-se. Chegamos as 11h30 e apesar disso fomos recebidos com um sorriso por Stewart Sukuma, que rapidamente nos fez sentir em casa.

"Nkhuvu", segundo disco a solo do músico, foi lançado em 2008 e é o último a ser editado. Na verdade Sukuma não se preocupa muito com o tempo de intervalo em que lança os seus projectos, já que o seu primeiro disco a solo, "Afrikiti", foi lançado em 1995.
"Não sou um artista que cumpre uma agenda, não sinto a obrigação de lançar um disco de dois em dois anos. A minha criatividade é espontânea”, diz sem querer justificar qualquer tipo de ausência. Facto é que durante este período Sukuma editou vários singles e levou "Nkhuvu" a todo o mundo, sendo que para o cantor este é um disco que ainda tem muita vida. "Nós ainda estamos a descobrir músicas deste disco e em 2014 vamos tocar muitas músicas do 'Nkhuvu'".

Rapidamente a conversa volta-se para o futuro: o cantor planeia lançar o seu novo álbum em maio. Sukuma esteve em Portugal a terminar a gravação de "Boleia Africana". Rui Veloso cedeu o seu estúdio, mas não foi a única casa por onde "Boleia Africana" passou. Stewart gravou também no Rio de Janeiro, em Nova Deli e em Maputo.

"'Boleia Africana' foi fruto de uma pesquisa, não muito aprofundada, da colonização da Península Ibérica pelos mouros", revela. Este disco terá uma sonoridade diferente do "Sete Pecados", "será minimalista, muito mais acústico. Daí a opção de termos um álbum duplo, em que espelhasse essas duas realidades." Já "Sete Pecados", por seu turno, foi gravado com os seus companheiros de palco, a banda Nkhuvu.

Os convidados chegam de Portugal (Luís Represas, Cuca Roseta, Trio Kolme, Pedro Jóia e Luís Guerreiro), Itália (Gabriel Mirabassi), Zimbabwe (Oliver Mtukudzi) e, como não poderia deixar de ser, Moçambique (Jimmy Dludlu, Isabel Novella, Bernardo Domingos e Pappy Miranda).

O músico quer que este novo projeto seja lançado no maior número de locais possível. Depois de Moçambique, Sukuma prepara já a apresentação deste trabalho em Portugal. Em junho o cantor conta tocar em Lisboa e no Porto.

Parceria com a ONU

Há muitos anos que Sukuma trabalha com crianças. Em 2012 a UNICEF nomeou-o para embaixador da organização em Moçambique. O culminar deste ano e do trabalho realizado será o lançamento de um disco com o nome "Saúde e Vida".

"O trabalho tem sido muito bom, mas fico sempre céptico porque todo o trabalho que nós fazemos, em Moçambique, em prol das crianças, é pouco, para os resultados que nós normalmente conseguimos alcançar", confessa Sukuma.

"Saúde e Vida" deverá ser lançado em junho pela Unicef e conta com temas importantes sobre a saúde e a vida das crianças, tocando também em assuntos como a discriminação. O disco contará com a participação de cerca de 50 músicos, com nomes como Neyma, Mingas, G2, Slowly, Júlia Duarte e Waldemiro José, entre outros.

@Edson Vital e Gonçalo Sá

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.