O anúncio das 15 bandas que se juntam aos cabeças de cartaz Autopsy - e inclui os portugueses Equaleft, Gaerea e Midnight Priest - foi feito hoje por via do Facebook do festival que vai decorrer de 29 de abril a 2 de maio do próximo ano, para a sua 23.ª edição.

Quer os finlandeses Horna quer os polacos MGLA (que estiveram em Lisboa e no Porto em setembro) já viram cancelados concertos, depois de acusações de que pertenceriam ao movimento de Black Metal National Socialista (NSBM, na sigla em inglês).

Os primeiros, por trabalhos prévios do guitarrista Ville Iisakki Pystynen, que pertenceu a uma banda responsável por faixas com títulos como “Agonia Branca” e letras de apelo a um “melhor Reich”. No caso de MGLA, um dos dois elementos da banda já lançou uma faixa com o título “Judenfrei” (“Livre de judeus”, em tradução livre) e o outro membro do grupo está ligado à banda neonazi Infernal War. Ambas as bandas negam as acusações e rejeitam as associações políticas.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.