Artistas como Herbie Hancock, Cyndi Lauper, Angélique Kidjo e Stephen Stills, juntamente com o principal nomeado aos Grammys deste ano, Jon Batiste, prestaram homenagem à vasta obra de Mitchell, de 78 anos, na gala MusiCares.

"Tem sido um bom ano", disse a artista na passadeira vermelha.

A noite marcou uma rara aparição pública de Mitchell, que em 2015 sofreu um aneurisma cerebral que a deixou temporariamente incapaz de falar e cujas consequências exigiram fisioterapia extensa.

Mas na sexta-feira estava radiante, dizendo aos repórteres que tinha "ideias" artísticas, embora continue focada em melhorar a sua saúde.

Joni Mitchell

Quando questionada por jornalistas sobre o seu estado, a artista respondeu que está "muito bem" e que tem "melhorado".

A influente cantautora que inspirou muitos, de Neil Diamond a Prince, talvez seja mais conhecida pelo seu álbum de 1971, "Blue", um mergulho profundo no desgosto.

No verão passado, "Blue" alcançou o primeiro lugar no iTunes no seu 50.º aniversário, tendo superado a sensação pop Olivia Rodrigo.

Expressando o seu próprio espanto, Mitchell explicou a popularidade duradoura do seu álbum e o seu recente ressurgimento: "Talvez as pessoas queiram cavar um pouco mais fundo".

"Ninguém escreve letras como Joni" 

O grande jazzman Herbie Hancock, que em 2007 lançou um álbum de tributo a Mitchell intitulado "River: The Joni Letters", elogiou a "coragem" artística da sua velha amiga.

50th Montreux Jazz Festival

"Ela desnuda a sua alma, mas de uma maneira muito poética", disse Hancock à AFP na passadeira vermelha, horas antes de apresentar a canção "Hejira", de Mitchell, em palco.

O artista acrescentou que Mitchell, que é considerada por muitos como uma das grandes compositoras do século XX, o ensinou "a ouvir as letras".

"Algumas pessoas, e eu sou uma delas, quando ouvimos música, ouvimos as harmonias e as texturas musicais, e as letras parecem sem sentido", continuou.

Ainda assim, a "poesia" de Mitchell impressiona-o: "Ninguém escreve letras como Joni".

"Ela deu-nos a coragem de dizer a verdade", comentou, por sua vez, o ator e cantor Billy Porter, que prestou homenagem a Mitchell cantando "Both Sides Now".

"Usar a nossa arte para crescer; usar nossa arte para curar", ressaltou. "Para libertar outras pessoas, ela é poderosa a esse nível".

A gala MusiCares, repleta de estrelas, é uma tradição anual da ala de caridade da Academia Fonográfica dos EUA que arrecada dinheiro para ajudar músicos necessitados antes da cerimónia de entrega dos Grammys.

David Crosby

A celebração deste ano também contou com uma atuação remota de "A Case Of You" de Graham Nash, do grupo folk Crosby, Stills, Nash & Young, banda que Mitchell influenciou profundamente e com quem partilhou uma rica relação de trabalho.

A artista manteve um relacionamento com David Crosby, assim como com Nash, e a última relação serviu de inspiração para vários temas de "Blue", incluindo a emblemática "A Case of You".

Numa mensagem gravada, Neil Young enviou "muito amor" a Mitchell, enquanto Stephen Stills compareceu na cerimónia em Las Vegas e elogiou Mitchell como "uma das grandes artistas deste mundo".

Stills tocou guitarra enquanto Brandi Carlile cantou uma versão animada de "Woodstock" numa noite marcada por apresentações que emocionaram muitos, especialmente Mitchell.

"Eu poderia reformar-me agora e deixar outras pessoas fazerem isto", brincou ao receber o prémio. "Toda a gente foi esplêndida."

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.