"É a primeira vez que promovemos, na Mealhada e até mesmo na Bairrada, um festival de jazz. E ainda por cima, com entradas completamente livres. Com o cartaz de elevada qualidade que apresentamos estão reunidas as condições para ser um sucesso", disse hoje o presidente da Câmara da Mealhada, Rui Marqueiro, durante a apresentação da iniciativa.

O Cartaz do MeaJazz inclui artistas e grupos de várias modalidades de jazz, como dixieland, swing, bebop, fusão. "Ou seja, há uma oferta que vai do mais clássico e tradicional ao mais alternativo", garantem os organizadores.

O cartaz inclui espetáculos com Jeff Davis Trio (Canadá), Andrea Bucko (Eslováquia), The Rite of Trio (Portugal), José Valente (Portugal), Jazz PA (Brasil/Portugal), El Show de Dodó (Espanha) e Orquestra de Jazz de Leiria (Portugal).

No total, serão mais de seis horas de música, com instrumentistas oriundos de cinco países.

"No primeiro dia, teremos em palco, entre outros, uma fabulosa pianista e cantora de Bratislava (Eslováquia) e aquele que é o melhor vibrafonista da atualidade a residir em Portugal, o canadiano Jeff Davis", explica Marqueiro, que se apresenta como um entusiasta de Jazz.

"No segundo dia, iremos contar com a presença de um exímio instrumentista de viola d'arco, que fez o seu percurso académico na Áustria, e teremos também um grupo espanhol cujo pianista toca de uma forma extremamente peculiar: usa fruta (laranjas, etc.) e bolas de arte circense para carregar nas teclas do piano", continua o autarca.

O MeaJazz encerra com uma orquestra de 20 músicos, um agrupamento que tocou recentemente com David Fonseca, Maria João, Herman José, Luísa Sobral, Áurea, Tiago Bettencourt, Pedro Abrunhosa e Ana Bacalhau.

"O cartaz é super-apelativo", afirma Rui Marqueiro, que promete uma surpresa para o encerramento: ""Irão subir ao palco 25 cantores que se juntarão aos 20 instrumentistas da Orquestra de Jazz de Leiria. Estarão simultaneamente em palco, por isso, 45 músicos a tocar/cantar ao mesmo tempo. Será um final em apoteose. E, se tudo correr bem, haverá uma figura pública que irá surpreender o público com uma inesperada performance", promete Marqueiro, que não quer desvendar ainda o nome da personalidade.

O autarca não avançou também qual é o investimento que a câmara vai fazer no festival, dizendo que "as contas ainda não estão feitas". Certo é o apoio dado ao festival por um dos restaurantes de referência do concelho, o Rei dos Leitões, no valor de cinco mil euros.

"Gostamos de nos associar às coisas boas do concelho", explicou a proprietário do restaurante, Licínia Rodrigues.

Rui Marqueiro referiu ainda que "os comerciantes da Quinta da Nora foram desafiados a puxar pela sua criatividade e a apresentar iniciativas complementares ao festival de jazz, no sentido de tirarem partido deste evento promovido pelo município".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.