Segundo a edição desta terça-feira, dia 11 de maio, do Correio da Manhã, o estado de saúde de atriz tem apresentado algumas melhorias. "É um dia de cada vez, uma hora de cada vez", revelou uma fonte ao jornal, acrescentando que Maria João Abreu "está a responder à medicação" e registou "ligeiras melhorias no estado geral de saúde".

"Havia questões relacionadas com o coração e os pulmões que estavam a preocupar os médicos, e que nos últimos dias registaram uma evolução positiva", conta a mesma fonte ao CM.

Maria João Abreu
créditos: SIC

Maria João Abreu, de 57 anos, estreou-se como atriz profissional em 1983, no musical "Annie", de Armando Cortez, no Teatro Maria Matos. Seguiram-se vários espectáculos de revista no Parque Mayer, até participar, na "Casa da Comédia".

"Uma Bomba Chamada Etelvina" (1988), da RTP, marcou a estreia da atriz no pequeno ecrã. "Canto Alegre" (RTP1, 1989), "Caixa Alta" (RTP1, 1989) ou "O Cacilheiro do Amor "(RTP1, 1990) foram os projetos que se seguiram.

Com a chegada do segundo canal privado, em fevereiro de 1993, Maria João Abreu mudou-se para a TVI. Na estação de Queluz de Baixo, a atriz fez parte do elenco de produções como "Cos(z)ido à Portuguesa" (1993), "Trapos e Companhia" (1994) e "Quem Casa Quer Casa" (1994).

Depois de um breve regresso à RTP1, em 1994 e 1995, a atriz estreou-se na SIC no "Big Show". Em 1996, Maria João Abreu integrou o elenco de "Malucos do Riso" e de "Camilo e Filha Lda".

No final dos anos 1990, a atriz participou ainda em "Vidas de Sal" (RTP1), "Não Há Duas Sem Três" (RTP1), "As Lições do Tonecas" (RTP1). Em 1998, Maria João Abreu vestiu a pele de Lucinda na série "Médico de Família", da SIC, sendo uma das mais populares personagens da sua carreira.

"Amo-te Teresa" (SIC), "Jardins Proibidos" (TVI), "Aqui não há quem viva" (SIC), "Morangos com Açúcar" (TVI), "Casos da Vida" (TVI), "Ele é Ela" (TVI), "Sentimentos" (TVI), "Cidade Despida" (RTP1) e "Conta-me Como Foi" (RTP1) foram alguns dos trabalhos da atriz no pequeno ecrã na primeiro década dos anos 2000.

"Cidade Despida" (RTP1), "Espírito Indomável" (TVI), "Pai à Força" (RTP1), "Liberdade 21" (RTP1), "A Família mata" (SIC), "Mulheres de Abril" (RTP1), "Mar Salgado" (SIC), "Amor Maior" (SIC), "Paixão" (SIC) e "Golpe de Sorte" (SIC) foram outros dos projetos que a atriz integrou.

Atualmente, a atriz faz parte do elenco da novela "A Serra", da SIC, onde veste a pele de Sãozinha.

Paralelamente à televisão, Maria João Abreu abraçou vários projetos no teatro, como "Toma Lá Revista!" (1987), "De Pernas Pró Ar!" (1994), "A Revista é Linda!" (2005), "As Árvores Morrem de Pé" (2016), "Simone - O Musical" (2017) e "Fenda" (2019).

Em 2019, a atriz protagonizou "Sonho de uma Noite de Verão",  uma das obras mais conhecidas e adaptadas de William Shakespeare e que ganhou nova versão pelas mãos da Lisbon Film Orchestra.  O musical juntou em palco, pela primeira vez, José Raposo, Maria João Abreu e filho Miguel Raposo.

"Mete medo. Eu não sou cantora, sou uma atriz que canta. Cantar com 16 elementos a tocar para mim... é terrível de bom. Saber que temos um maestro com tanta experiência, transmite confiança", confessou a atriz em conversa com o SAPO Mag, antes da estreia do musical no Tivoli BBVA, em Lisboa.

Já no grande ecrã, Maria João Abreu fez parte do elenco de "Amo-te Teresa" (2000), "Telefona-me!" (2000), "Call Girl" (2017), "A Mãe é que Sabe" (2016) e "Submissão" (2019).

A atriz é casada com o músico João Soares e mãe de dois filhos, fruto do relacionamento com ator José Raposo, com quem esteve casada entre 1985 e 2008.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.