”Eu tinha a corda na garganta afinada em dó” foi a primeira frase cantada esta tarde pelo músico português Samuel Úria, o escolhido para abrir o NOS Primavera Sound e que arrancou pontualmente às 17:00, como agendado pela organização.

Com o público a chegar sem pressa ao primeiro concerto do Primavera Sound, cerca de uma dezena de agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) fazia a revista aos festivaleiros para entrarem no recinto do Parque da Cidade, com recurso a detetores de metais.

“Estamos a verificar as mochilas e a fazer apalpações aos bolsos para inspecionar se há drogas, bebidas, comida ou elementos cortantes”, explicou à Lusa uma das agentes da PSP no local, referindo que tem de ser feita uma “pré-seleção” e em momentos de grande aglomerado de pessoas tem de ser dada uma atenção especial.

O porta-voz da PSP, intendente Hugo Palma, disse hoje à agência Lusa que no Primavera Sound e no concerto de Ariana Grande, em Lisboa no domingo, ia haver “uma maior presença e visibilidade policial”, bem como a existência de polícias à civil para vigiarem os acessos aos locais dos espetáculos.

Hugo Palma adiantou que vão também ser feitas revistas de segurança, como acontece nos jogos de futebol, tendo o público que mostrar à entrada as mochilas ou malas.

Já no âmbito do ambiente, nesta edição do festival Primavera Sound estão em curso várias medidas ecológicas para diminuir a pegada ecológica com embalagens ecossustentáveis e biodegradáveis para a comida, casas de banho ligadas à rede de saneamento pública e cinzeiros descartáveis, segundo a organização.

Em entrevista à Lusa, César Guedes, da Casa Guedes, confirmou ter recebido da parte da organização “cerca de seis mil caixas ecológicas” para os três dias de festival, mas conta vender cerca de oito mil sandes de pernil no recinto.

Manuel Moura, oriundo de Braga e um dos primeiros à procura de comida no Primavera, mostrou-se satisfeito com a medida amiga do ambiente de haver embalagens ecológicas no recinto, mas frisou que tem de haver continuidade nas medidas.

“Se não houver caixotes do lixo num raio de 30 metros, o lixo vai acumular-se no chão”, observou o festivaleiro que vai na sua quarta edição do Primavera Sound no Porto.

José Barreiro, diretor do NOS Primavera Sound adiantou à Lusa que todos os operadores que vendam produtos alimentares no recinto do festival de música Primavera Sound vão ter embalagens “ecossustentáveis feitas à base de fibras naturais" que garantem um serviço igual ao plástico e ao papel, mas que se transforma em lixo orgânico e não necessita de separação.

Por este primeiro dia de Primavera, com apenas dois palcos ativos, vai passar ainda o músico português Rodrigo Leão e o australiano Scott Matthew, que vão partilhar mais uma vez o palco e atuam pelas 18:50, seguindo-se depois a atuação do cantor americano Miguel, pelas 20:00.

A noite vai fechar com os franceses Justice a atuarem pelas 00:45, mas antes o Primavera Sound recebe a visita de Arab Strap (21:10), Run The Jewels (22:00) e Flying Lotus (23:30).

O Primavera Sound termina no sábado, dia 10 de junho, contando com artistas como Aphex Twin, Justice, Bon Iver, Whitney, Sleaford Mods, Flying Lotus e muitos outros.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.