O diário norte-americano revela hoje que a edição de "Big Colors", que estava prevista para 19 de abril, foi adiada por tempo indeterminado, enquanto a polícia federal norte-americana (FBI) iniciou diligências para abrir uma investigação criminal sobre as acusações que recaem sobre o músico.

Numa reportagem publicada na quarta-feira, o New York Times noticiou que Ryan Adams é acusado de assédio psicológico e sexual por sete mulheres às quais prometeu ajuda na carreira musical.

O jornal refere que “várias mulheres dizem que Ryan Adams se ofereceu para as ajudar no início das carreiras musicais, e depois perseguiu-as sexualmente e, em alguns casos, retaliou quando o desprezaram”. Entre as mulheres citadas na reportagem está a ex-mulher do músico, a cantora e atriz Mandy Moore.

Após a publicação da reportagem, o músico reagiu publicando várias mensagens na sua conta oficial no Twitter: “Não sou um homem perfeito e cometi muitos erros. A quem alguma vez magoei, intencionalmente, peço desculpas profundamente e sem reservas”, começou por escrever.

Em janeiro, Ryan Adams tinha anunciado que planeava editar este ano três álbuns, o primeiro dos quais, "Big Colors", em abril, seguindo-se "Wednesdays", com a participação de Emmylou Harris, Jason Isbell e Benmont Tench. Não tinha sido adiantada qualquer informação sobre o terceiro disco de estúdio.

"Big colors" deveria sair pela Blue Note Records com a editora do músico, Pax-Am Records.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.