"A ideia era mesmo esta: Era para fazer [retomar a banda] se nos sentíssemos frescos e com capacidade de fazer coisas novas. Senão, não voltávamos atrás, não voltávamos ao nome", explicou o músico.

Ana Deus, Alexandre Soares e a escritora Regina Guimarães são o núcleo duro dos Três Triste Tigres, um grupo de música rock cuja existência se fixou nos anos 1990, tendo editado três álbuns: "Partes Sensíveis" (1993), "Guia Espiritual" (1996) e "Comum" (1998), e a compilação "Visita de estudo" (2001).

Duas décadas depois, nas quais Ana Deus e Alexandre Soares desviaram o trabalho criativo para vários projetos, incluindo o duo Osso Vaidoso, voltam a estúdio recuperando a identidade Três Tristes Tigres. O novo single, "Galanteio", foi estreado esta quarta-feira.

À Lusa, Alexandre Soares explicou que o entusiasmo do trabalho de composição sucedeu ao regresso aos palcos, em 2017, quando foram convidados para um concerto no Teatro Rivoli, no Porto, para interpretar "Guia Espiritual", considerado o melhor da discografia.

"Mantém-se a mesma vontade de procurar um som que fosse o que éramos na altura e agora é o som que somos hoje. Não estou a procurar nenhuma ligação ao passado. Estou mesmo no que estou a fazer agora e a Ana também", disse.

Sobre o novo álbum, Alexandre Soares explicou que Regina Guimarães volta a assinar as letras e que, do ponto de vista musical, entram guitarra elétrica e acústica, mas também sintetizadores modulares e analógicos.

"Apeteceu-me fazer um som maior. E esse desafio puxou-me um bocado, ver como é que estava hoje a fazer um som desse género. Gosto de trabalhar o som e foi aí que andei a criar timbres", explicou.

O álbum está aprazado para fevereiro ou março e o alinhamento não está totalmente fechado, porque "estão a surgir músicas novas".

"Começámos a encontrar o som que queríamos. [...] Tem o lado da eletrónica, que entrou, voltei a essa parte, mas a parte das guitarras está muito presente, e a abordagem à percussão e ao baixo, e à forma como isto cola com a voz, difere. Tem músicas mais duras, mais guitarra, mais eletrónica, mais ambientais", descreveu.

Alexandre Soares volta a um grupo que sabe que, atualmente, pouca gente conhece.

"Grande parte do público não nos conhece de nenhum lado. Há uns que nos conhecem de trás e vão ver, outros que começam a perceber que já existia e vão lá, mas depois gente nova que nunca ouviu falar em nós", admitiu.

A formação atual dos Três Tristes Tigres integra Ana Deus, Alexandre Soares, Rui Martelo (baixo), Miguel Ferreira (teclista) e JP Coimbra (bateria).

Na próxima semana será divulgado outro tema novo, com Fred Ferreira convidado para tocar na bateria, e em janeiro serão revelados mais dois.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.