"Milagre da Cela 7" tem estado em destaque no ranking diário da Netflix há várias semanas. O filme turco chegou ao serviço de streaming no final de março e surpreendeu os espectadores de todo o mundo com uma história emocionante sobre um pai, a sua filha e o dia a dia dentro de uma prisão de alta segurança.

"Milagre da Cela 7" é uma adaptação de "A Gift From Room 7", filme sul coreano realizado por Lee Hwan-kyung e estreado em 2013. A história inspirou várias adaptações, como "Pushpaka Vimana"(Índia, 2017) e  "Miracle in the Cell No. 7" (Filipinas, 2019), de Nuel C. Naval. Já "Yedinci Kogustaki Mucize", a adaptação disponível na Netflix, tem origem turca e foi realizada por Mehmet Ada Öztekin no ano passado.

Segundo o IMDB, este ano será ainda lançada uma versão da história na Indonésia.

A base da narrativa é igual em todas as adaptações. "Preso pelo homicídio da filha de um comandante, um pai com deficiência intelectual tem de provar a sua inocência e regressar para junto da sua filha", avança a Netflix na sinopse disponível na plataforma.

Além de estar em destaque no top diário da Netflix, "Milagre da Cela 7" tem sido um dos filmes mais comentados nas redes sociais. E a opinião é quase unânime: quem vir a história do pai Memo (Aras Bulut Lynemli) e da sua filha Ova (Nisa Sofiya Aksongur) não vai conseguir esconder as lágrimas.

"Não sei como conseguiram ver 'Milagre da Cela 7'. Só vi cinco minutos do filme e já estou a chorar", escreveu um espectador no Twitter. "Filme tão bonito. Faz chorar de certeza, mas vale cada minuto”, acrescentou um outro subscritor do serviço de streaming.

Nas redes sociais, alguns espectadores têm defendido ainda que "Milagre da Cela 7" é o filme mais triste que está disponível na lista da Netflix.

Leia algumas das reações:

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.