A longa-metragem "A Rede", da realizadora de origem russa Alexandra Strelyanaya, foi a vencedora da competição internacional da primeira edição do Porto Femme - Festival Internacional de Cinema, anunciou hoje a organização.

De acordo com o comunicado hoje divulgado, o prémio de melhor curta-metragem foi para "Celebrate Eileen!", uma produção alemã de Judith Westermann, com menções especiais para a 'curta' "Terrain Vague", de Latifa Said (França), e para a 'longa' "Three and a half”, de Daria Gaikalova (Índia).

O Porto Femme, organizado pela associação XX Element Project, é o primeiro festival internacional de cinema no feminino, em Portugal, com competições nacional e internacional nas categorias de ficção, animação, documentário e experimental.

Na competição nacional de curtas-metragens foram distinguidas Salomé Lamas, por "Coup de grâce", com o prémio desta categoria, e Leonor Noivo, por "Tudo o que imagino", com uma menção especial do júri, enquanto na animação o prémio foi para "A sonolenta", de Marta Monteiro, e "Água Mole", da dupla Laura Gonçalves e Xá, recebeu uma menção especial.

"Quem é Bárbara Virgínia?", de Luísa Sequeira, sobre a primeira realizadora portuguesa, teve o prémio de melhor documentário na competição nacional. "António e Catarina", de Cristina Hanes, recebeu a menção especial do júri.

Os prémios do primeiro Porto Femme, na competição internacional, também distinguiram Francoise Miquelis, como melhor atriz, pelo desempenho em "Under Mom’s Skirt", de Sarah Chaboneix, "Shadow", de Lei Lei (China), como melhor filme de animação, "Rupa’s Boutique", de Glória Halász (Hungria), como melhor documentário, com a menção especial do júri entregue a "Território do Desprazer", de Maíra Tristão e Mirela Marin (Brasil).

Na área Experimental, foram premiadas as realizadoras Natalie MacMahon (Alemanha), por "A universal love story", e Elinor Nechemya (Israel), por "Everlanting Mom". A Competição XX Element, premiou "She, The sargeant matacho", de William Gonzalez (Colômbia), enquanto "Ainhoa", de Iván Sáinz-Pardo (Espanha), teve a menção especial do júri.

O Prémio Lutas e Direitos das Mulheres foi para "Arenas de Silêncio: Olas de Valor", de Chelo Alvarez-Stehle (Estados Unidos), tendo o júri atribuído uma menção especial a "Tia Ciata", de Mariana Campos e Raquel Beatriz (Brasil).

As sessões do Porto Femme decorreram até domingo no Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Cinema Trindade, na Casa das Associações do Porto e no Barracuda, tendo recebido, nesta primeira edição, “393 filmes, oriundos de 42 países”, segundo a organização.

A XX Element Project – Associação Cultural nasceu em 2016 com o objetivo de promover “trabalhos artísticos realizados por mulheres" e, através deles e de atividades de caráter cultural, cívico e social, "evidenciar os direitos das mulheres e da igualdade de género”.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.