«As Linhas de Wellington», pensado pelo chileno
Raul Ruiz e rodado pela companheira do cineasta falecido há um ano, a realizadora
Valeria Sarmiento, integra a secção “Special Presentations” do festival canadiano, que decorre de 6 a 16 de setembro.

No festival espanhol será estreada a versão televisiva de três episódios. Apresentada extra concurso, a exibição desta versão realizar-se-á no dia 23 de setembro, na Kursaal 1, a principal sala deste certame na cidade basca.

A série televisiva deverá ser exibida na RTP, em data a anunciar, com garantia de estreia noutros países, segundo a produção.

O filme será também apresentado no Festival Nova Iorque, que celebra 50 anos e se realiza de 28 de setembro a 14 de outubro. Este é “o mais importante Festival dos Estados Unidos e, apesar do seu caráter não competitivo, é uma das principais portas para assegurar a distribuição comercial norte-americana”, afirma a distribuidora.

Todas as apresentações internacionais “serão acompanhadas de uma significativa presença dos principais atores do elenco, quer nacionais quer internacionais”.

John Malkovich,
Marisa Paredes,
Catherine Deneuve,
Michel Piccoli e
Mathieu Amalric integram o elenco, ao lado dos portugueses
Nuno Lopes,
Carlotto Cota,
Albano Jerónimo,
Soraia Chaves,
Maria João Bastos e
Afonso Pimentel, entre outros, a par de quase cinco mil figurantes.

O filme, que será o único título de produção nacional a concurso este ano no Festival de Veneza, estrear-se-á em Portugal a 4 de outubro e, segundo o produtor, chama a atenção para "um episódio importantíssimo" da História de Portugal.

Trata-se de um filme sobre a terceira invasão francesa, em 1810, quando o general Arthur Wellesley, duque de Wellington, liderou um exército anglo-português e utilizou uma linha de fortificações que protegia Lisboa - as Linhas de Torres Vedras -, derrotando os franceses que abandonaram o território em 1814.

A produção cinematográfica custou 4,5 milhões de euros, dos quais 1,5 milhões de euros resultaram de financiamento português.

Paulo Branco afirmou que conseguiu fazer este filme contando com o argumento de Carlos Saboga e com o retorno do sucesso do filme
«Mistérios de Lisboa», o último rodado por Raul Ruiz, premiado internacionalmente, que garantiu vendas no valor de 1,5 milhões de euros.

"'Os Mistérios de Lisboa' começaram a provar internacionalmente que se podia fazer uma ficção que pudesse circular no mundo inteiro, em português e com atores portugueses", disse.

«As Linhas de Wellington» foram rodadas em Portugal, em particular na região de Torres Vedras, e o presidente da autarquia, Carlos Soares Miguel, disse que o projeto será integrado no plano de estudos dos alunos do ensino secundário, em parceria com o Ministério da Educação.

"O filme vai ser objeto de observação e de estudo", a começar pela região Oeste, disse o autarca.

«As Linhas de Wellington» têm também estreia marcada em pelo menos 30 salas de cinema, em França, no dia 21 de novembro.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.